3

Segundo informações divulgadas pela agência Reuters e pelo site Metro, na quinta-feira (24) uma empresa da Finlândia lançou aquele que está sendo considerado o primeiro pão do mundo feito à base de insetos a ser produzido comercialmente.

A ideia pioneira foi desenvolvida pelo grupo Fazer (uma das maiores companhias finlandesas do setor de alimentação), que possui, ao todo, 47 lojas espalhadas por aquele país, e as "estrelas" da matéria prima usada para a confecção do alimento são grilos secos – de fato, cada pão contém, em média, 70 exemplares desta espécie de seres vivos, o que totaliza aproximadamente 3% do peso de cada unidade da iguaria.

O modo de produção, na verdade, é bem simples: os animais são triturados até se transformarem em pó, e depois este material é misturado com farinha de trigo e sementes – assim, quando se mastiga [VIDEO] a comida, não dá para sentir pedaços dos insetos na boca. E embora possa parecer estranho, grilos são bem nutritivos, fornecendo uma dose extra de cálcio, ferro, vitamina B12 e ácidos graxos ao alimento crocante fabricado pela Fazer.

Totalmente seguro para consumo

O "Pão de grilo" só chegou às lojas da Finlândia porque o país alterou sua legislação no dia primeiro de novembro, e passou a permitir a venda de insetos como alimento humano – assim como já o fazem Áustria, Bélgica, Dinamarca, Grã-Bretanha e Holanda. De acordo com Juhani Sibakov, chefe do departamento de inovação da Fazer Bakery (Padaria Fazer), a novidade não causou qualquer forma de repulsa nos cidadãos da nação europeia, já que, segundo ele, "os finlandeses têm as atitudes mais positivas em relação aos insetos".

Sibakov ressaltou que a acreção dos animais à massa do pão resultou em um alimento "delicioso e nutritivo". Além disso, o dirigente da companhia argumentou esta é uma forma mais sustentável de se ter acesso a vitaminas e minerais importantes para o corpo humano, já que grilos podem ser criados de forma a agredirem bem pouco o meio ambiente – quando comparados, por exemplo, aos impactos negativos causados pela atividade da pecuária – e de maneira mais barata.

No entanto, a Fazer revelou que não possui farinha de grilo o suficiente para disponibilizar sua novidade por toda a Finlândia, e precisa importá-la da Holanda. Por enquanto, o alimento será comercializado apenas em 11 pontos de venda, mas a ideia é procurar por fornecedores locais para que seja possível aumentar a produção e oferecer o pão contendo insetos em todas as lojas da rede.