O que levou um jovem de 18 anos a cometer um crime macabro com requintes de crueldade e ainda fazer uma selfie sorrindo com o corpo do homem que ele acabou de matar e postar em uma rede social? Até onde pode chegar a perversidade humana? O quão perturbado emocionalmente estaria este jovem? Quais os reais motivos que levaram ele a cometer este crime bárbaro? São perguntas que vão ficar ecoando por muito tempo na cabeça [VIDEO] daqueles que conviveram com ele e a vítima.

De acordo com o site de informações online 'Notícias ao Minuto', o jovem de 18 anos, identificado como Andrei Emelyannikov, matou seu professor durante o intervalo entre as aulas do colégio onde ele estudava, logo depois o jovem se suicidou e levou consigo a motivação do crime.

O caso aconteceu na Rússia, nesta quarta-feira (1). A polícia encontrou os dois corpos em uma instituição de ensino logo depois da divulgação das várias fotos que o estudante postou na internet dele junto ao corpo do mestre.

Assassinato e suicídio

A polícia de Moscou informou que o professor e o estudante da escola técnica Guards Street, localizada no distrito de Kuntsevo (Distrito Ocidental de Moscou), foram encontrados sem vida dentro da instituição de ensino. Tanto o professor, identificado como Sergei Danilov, de 44 anos, quanto o aluno, morreram em virtude a um corte profundo na garganta de ambos. Ao que tudo indica, o jovem matou o professor, fez várias fotos com a faca usada no crime suja de sangue na mão e depois se matou provocando um corte fatal em seu pescoço.

Embora não haja nenhuma evidência de que uma outra pessoa estivesse presente no momento do assassinato e suicídio, muitas pessoas acreditam que pode ter um terceiro indivíduo envolvido no crime e que conseguiu fugir do local sem ser visto.

Segundo o site de notícias Lenta.ru, a polícia local não descarta nenhuma linha de investigação [VIDEO], o crime aconteceu por volta das 13 horas, horário local e a maior dificuldade encontrada pelos investigadores é em relação a testemunhas já que a tragédia aconteceu no intervalo entre uma aula e outra. Pessoas que estavam próximas ao local no momento do crime relataram que não ouviram nenhum barulho diferente ou mesmo algum tipo de discussão vindo da sala onde os corpos foram encontrados, informou Yulia Ivanova, representante oficial do chefe de Moscou do Comitê de Investigação Russo (CID).

A conta do estudante na rede social russa conhecida como "VKontakte" foi bloqueada e tirada do ar para evitar o compartilhamento das imagens, mas as várias fotos postadas pelo jovem ganharam a internet pelo mundo afora.