2

Esta semana uma foto bombou nas redes sociais e virou até matéria jornalística. Na cidade de Sterling, na Virgínia, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estava passando pela cidade com sua comitiva após sair do National Golf Club, que há na cidade. No caminho de volta do resort, a comitiva do presidente norte-americano passou por Juli Briskman, de 50 anos, que estava passeando de bicicleta. Quando se deparou com os carros da comitiva, ela tentou pegar distância dos carros e sair de perto e fez um gesto obsceno com o dedo do meio em direção veículos.

Ela, que é assumidamente democrata e mãe de dois filhos, ficou mostrando o dedo até todos os carros passarem e mostrou de novo quando passaram mais outros veículos.

Ao verem a cena, fotógrafos e jornalistas que estavam acompanhando a comitiva fotografaram Juli se manifestando com o gesto obsceno e a imagem teve uma grande repercussão na internet, nas redes sociais principalmente, tanto para as comunidades Democratas, críticos do presidente, jornalistas e para as pessoas que defendem Trump e que expõem suas opiniões negativas sobre o caso.

Com toda repercussão que a foto gerou, Juli ficou feliz com o apoio e a popularidade. Para retribuir, colocou a foto em todas suas redes sociais. Nenhuma de suas contas identificava Juli como funcionária da Akima LLC, que gerencia e analisa contratos com o governo. Sua função na empresa era com o setor de marketing. Sabendo da repercussão da foto, ela decidiu relatar o caso ao Departamento de Recursos Humanos da Akima por espontânea vontade.

Na entrevista para o portal norte-americano Huffpost, ela contou o que ocorreu para ter sido demitida da empresa; ‘‘Eu fui lá e falei, sabem da mulher da bicicleta? Sou eu! Eles estavam passando e eu fiquei enfurecida e pensei tantas coisas acontecendo no país e de novo ele está nesse maldito campo jogando golfe’’, afirmou. Juli finalizou dizendo aos chefes que gestos são comuns, polegares para cima ou dedos médios, a gente nunca sabe quando vai ver ou quando vai acontecer.

Juli relatou ao Huffspot que a Akima a demitiu. Ela disse que a justificativa foi que não poderiam aceitar funcionários com conteúdos obscenos ou indecentes em suas redes sociais e a decisão foi também para não atrapalhar negócios futuros entre a empresa e a Casa Branca. A Akima LLC ainda não se pronunciou sobre o ocorrido e a foto se mantém nas redes sociais de Juli Briskman.