John Westland está sendo acusado pela morte de um prisioneiro, na cadeia de Leeds, Inglaterra. Liam Deane, de 22 anos, foi encontrado morto [VIDEO] em sua cela, um mês depois de ter admitido matar sua filha, Luna, de apenas dois dias, na casa da família. Um mês depois de o detento ser condenado a prisão perpétua, a polícia revelou agora que Deane foi encontrado morto, no domingo (12). O suspeito para esse suposto homicídio é outro detento, John Westland, de 28 anos, que vai agora ser julgado no tribunal de Leeds.

Westland foi a tribunal na manhã desta terça-feira (14) e chegou acompanhado por dois policiais e um membro da equipe de escolta da corte, quando foi levado para o banco dos réus.

Ele ficou em silêncio durante a breve audiência, falando apenas para confirmar seus dados pessoais. Westland foi apenas informado de que o caso estava sendo adiado até esta quinta-feira (16), quando ele vai voltar novamente no tribunal.

Não foi ainda revelado porque motivo ele estava na cadeia, nem que pena ele estava cumprindo, mas o caso está levantando alguma polêmica e gerando muitas dúvidas. Enquanto algumas pessoas comentam que ele foi ajudado para matar esse homem, outros dizem que nem merecia ter sua pena aumentada, dizendo que "fez mais Justiça que o juiz".

Homem matou sua filha bebê

Foi em 10 de julho que esse incidente chocou toda a Inglaterra. A pequena Luna estava no colo de seu pai, enquanto a mãe estava dormindo [VIDEO]um pouco. Deane perdeu sua paciência com a bebê muito rápido por ela estar chorando, e deu um soco na cabeça da recém-nascida, um ataque que se revelaria fatal.

Além desse soco, ele apertou ainda o corpo e os braços da menina, enquanto a sacudia vigorosamente.

A menina ainda foi levada para o hospital de Leeds, onde acabaria por morrer, na unidade de cuidados intensivos, no dia 14 de julho. Deane foi considerado culpado e viu declarada sua prisão perpétua, sendo que teria que cumprir uma pena mínima de dez anos atrás das grades.

No tribunal, Deane acabou assumindo a culpa, mas no início ainda havia revelado que a menina teria caído de seus braços. Porém, assim que chegaram, os paramédicos perceberam o rosto da menina estava demasiado ferido e inchado, indiciando um ataque violento. Os exames pós-morte revelaram que a menina morreu de traumatismo craniano.

Quando foi questionado pelos policiais, o pai acabou admitindo que era o responsável pela morte, assumindo ter atacado a bebê porque ela estava chorando muito. A mãe de Luna deixou uma carta, que foi lida no tribunal, onde mostrava que não desculpava a seu companheiro. Ela disse que Deane estava somente tomando conta da sua bebê e, mesmo estando cansado, não poderia fazer uma coisa assim.

A mãe disse ainda que ver sua filha, de dois dias, ligada aos aparelhos de suporte de vida, é uma imagem que vai guardar para sempre em sua memória como o pior momento de sua vida.