Uma adolescente foi espancada, estuprada por quatro homens e depois foi largada na Índia. Porém, quando a garota de 19 anos tentou denunciar o ataque [VIDEO], ela foi enviada para três delegacias de Polícia, onde foi zombada por sua história, apesar de seus pais serem oficiais da polícia. Os investigadores apenas concordaram em aceitar o caso quando a jovem, por sua iniciativa, conseguiu apreender dois dos supostos atacantes, junto com a ajuda de seus pais.

A polícia de Bohpal, na província de Madhya Pradesh, suspendeu agora um delegado superior por ele ter se recusado a aceitar a queixa dessa jovem, de acordo com o jornal Times of India.

O ataque ocorreu na terça-feira (31), quando a jovem estava deixando suas aulas de treinamento para um exame de concurso que fará, o que também permitirá que se junte à polícia. Por volta das 7 horas da noite, um homem chamado Golu Bihari Chadhar, que estava em liberdade sob fiança pelo assassinato de uma criança, a agarrou pela mão e sequestrou.

A adolescente tentou impedir e lutando, mas foi aí que Chadar chamou seu cúmplice, Amar Ghuntu, que ajudou a arrastá-la para debaixo de uma ponte, de um rio próximo. Recusando-se a desistir, a menina ainda teria atingido os dois homens com uma pedra, fazendo com que eles ficassem furiosos e a tivessem agredido com uma outra pedra, antes de rasgarem suas roupas.

Depois, eles teriam amarrado e estuprado a menina, em uma provação que teria demorado três horas.

Os melhores vídeos do dia

Depois de algum tempo, Chadar deixou o local para ir pegar cigarros e roupas para ela. Quando ele voltou, ele foi acompanhado por outros dois homens, identificados apenas como Rajesh e Ramesh, e os quatro homens supostamente a estupraram de novo.

Chadar e Ghuntu, que são cunhados, teriam deixado a menina por volta das 10 horas da noite, cerca de três horas após o sequestro ter começado. A adolescente foi encontrada por seu pai, que já estava procurando por ela, e a levou para casa antes de retornar no dia seguinte para apresentar uma queixa.

Porém, a primeira delegacia de polícia se recusou a registrar a denúncia e a enviou para um segundo posto, onde, por sua vez, a enviaram para um terceiro, onde um funcionário a acusou de "inventar uma história cabeluda", informa a rede britânica BBC.

Depois de deixar a terceira delegacia de polícia, a garota viu e identificou dois dos supostos estupradores [VIDEO] a cerca de 500 metros de onde ocorreu o ataque e decidiram pegá-los. Só depois de trazerem os homens para a delegacia de polícia é que ficou formalmente registrada uma denúncia. Dois oficiais já foram demitidos por se recusarem a registrar o caso.

Os outros dois supostos agressores também foram presos e os quatro suspeitos serão levados a julgamento. A mãe da menina disse: "É uma das piores experiências da minha vida. Se eu, como uma policial, tive que enfrentar esses problemas para denunciar a queixa de estupro da minha filha, não consigo imaginar o que as pessoas comuns passam."