Quando Mario Agustin Salto, 11 anos, saiu de casa para pescar em 31 de maio do ano passado, sua família não imaginava que ele seria brutalmente estuprado e esquartejado numa cerimônia satânica.

Contudo, foi exatamente isto que aconteceu. Cometido no pequeno município de Quimili (Argentina), com cerca de 11 mil habitantes, o assassinato [VIDEO] do jovem Marito, como era chamado pelos moradores, comoveu familiares, amigos e a população do país.

Devido a repercussão do crime [VIDEO], investigadores se empenharam para identificar os autores das atrocidades.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

No mesmo ano, poucos dias depois da assombrosa morte do garoto, a polícia prendeu Rodolfo Sequeira, David Tomas Sosa e Ramon Salvatierra – todos envolvidos no assassinato.

Contudo, eles não são os únicos participantes do homicídio ritualístico.

Após mais de um ano de intensas pesquisas, autoridades prenderam, em novembro de 2017, outros indivíduos envolvidos no episódio.

Ao contrário do que acontece na maioria desses casos, em que os acusados são indivíduos marginalizados pela sociedade, os outros criminosos surpreenderam pela posição social que ocupavam na comunidade. Conforme a imprensa europeia, até mesmo a diretora de uma escola, Arminda Lucrecia Dia, 57 anos, fez parte do crime.

Além dela, participaram o marido Miguel Angel Jimenez, 58, o filho Alfredo Daniel Albarracin, 40, e Pablo Ramirez, 38 – todos familiares de Arminda, praticantes de magia negra.

Autoridades não descartam a possibilidade de mais indivíduos estarem envolvidos no homicídio de Marito. Apesar de provinciano, o pequeno município parece guardar segredos obscuros de seus habitantes.

Dia fatídico

Segundo relatos dos parentes, naquele 31 de maio de 2016, Marito saiu de bicicleta para pescar em uma barragem próxima de onde morava. Porém, ele não voltou para casa.

Somente dois dias depois, quando cachorros que vagavam pela área puxaram as pernas do menino, seu paradeiro foi descoberto.

Naquele dia, uma testemunha viu a aterradora cena dos cães com as pernas de Mario Agustin Salto na boca. Atormentada, ela abriu o saco e observou que, além delas, o torso e a cabeça da vítima também estavam lá dentro.

Após a perturbadora descoberta, os habitantes do município protestaram na cena do crime, exigindo justiça para o jovem.

Ao todo, sete pessoas estão presas acusadas do homicídio. Quatro delas são da mesma família. As investigações continuam.