Um homem russo está sendo acusado de arrancar o nariz, as orelhas e as pontas dos dedos de uma enfermeira depois de convidá-la para ir até sua casa para uma noite de amor. O homem, identificado como Anatoliy Ezhkova, de 45 anos, foi preso, mas foi liberado após pagar uma fiança. Conforme relatos, ele conheceu a vítima [VIDEO], identificada como Irina Gonchar, de 41 anos, online e convidou-a para uma refeição íntima em sua casa, na cidade de Kurgan, no centro da Rússia. Depois do jantar, as coisas ficaram sinistras.

O homem disse que após a vítima ficar bêbada ele a espancou [VIDEO], e, em seguida, amarrou a mulher e mordeu várias partes do corpo dela.

A vítima teve as orelhas, o nariz e as pontas dos dedos arrancados a dentadas pelo acusado, enquanto ela gritava e pedia por socorro. Ele disse que arrancou pedaços das costas e pescoço durante a sessão de tortura. De acordo com o Daily Mail, após quatro horas de tortura, os vizinhos ouviram os gritos da vítima e chamaram a Polícia. Quando os policiais chegaram no local informado, encontraram a mulher toda suja de sangue.

Policiais relataram que a cena parecia uma cena de um filme de terror. O homem foi preso, em seguida, levado para a delegacia da cidade. A mulher foi socorrida e levada para o hospital com várias feridas pelo corpo e uma costela fraturada. "Esta tortura durou quatro horas, este homem rasgou o corpo com os dentes, ele tentou matá-la. Ele tentou sufocá-la, seu pescoço estava coberto de sangue e suas mãos ficaram escorregadias.

Os vizinhos ouviram gritos, mas eles estão acostumados com essas coisas, pois há muitos alcoólatras [VIDEO] que vivem no hostel", disse um parente à mídia local, que também informou que o acusado pode ter usado drogas no momento do suposto incidente.

Porém, o homem foi liberado após pagar uma fiança antes de uma aparição no tribunal. Um membro da família disse: "Como os policiais poderiam deixá-lo ir? E se ele entrar em seu apartamento depois que ela for mandada para casa e tenta matá-la?" Enquanto isso, os moradores locais ficaram em choque após ficarem sabendo o ocorrido. "Estou chocado com esta história e ainda mais chocado, que ele foi libertado. A família precisa entrar em contato com o Ministério Público em Moscou, se os legisladores locais não estiverem suficientemente qualificados", disse Ludmila Zalomskaya, vizinha da vítima.

Um porta-voz da polícia russa confirmou o incidente, mas recusou-se a comentar sobre o caso. Recentemente, na Rússia, um casal de canibais foi preso. Segundo relatos, o casal estava matando e comendo uma série de mulheres jovens em Krasnodar durante um período de 10 anos. Dmitry Baksheev, de 35 anos, e sua esposa Natalia, de 42 anos, confessaram vários assassinatos e atos de canibalismo e há relatos de que eles fizeram tortas de carne humana de suas vítimas e as venderam para os vizinhos.