Um Objeto estranho em forma de charuto foi identificado no Sistema Solar na penúltima quinta do mês de outubro (19) e deixou os cientistas astrônomos intrigados por conta do seu formato incomum. O diretor do Centro de Estudos de Objetos Próximos da Terra do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, Paul Chodas, exclamou que a descoberta é fascinante. Segundo ele, trata-se de um estranho visitante de um sistema estelar distante.

O diretor afirmou que o objeto não se parece com nenhum outro objeto que ele e sua equipe já tenham visto nos arredores do sistema solar, o que deixou os Astrônomos ainda mais intrigados.

A descoberta e o tamanho do estranho objeto encontrado no sistema solar

O objeto foi encontrado no espaço sideral do sistema solar pela equipe de astrônomos operante do telescópio de nome Pan-STARRS1, localizado na Universidade do Havaí (EUA). O tamanho do objeto é de impressionar, de ponta a ponta são cerca de 400 metros de comprimento, e cerca de 40 metros de diâmetro.

Seu composto é feito de rocha com uma enorme quantidade de metal. O objeto realiza um movimento de rotação a cada 7,3 horas. O jornal de ciência internacional Nature publicou um estudo e chegou à conclusão que existe uma grande possibilidade de que o estranho objeto já esteja vagando pela Via Láctea há muito tempo, há centenas de milhões de anos.

O gigante passou pelo Sol a exatamente 87,3 quilômetros por segundo, o que não deve permanecer muito tempo à vista, já que a esta velocidade dificultaria o alcance dos telescópios em poucas semanas.

O grande objeto estranho em forma de charuto encontrado no sistema solar que deixou os cientistas astrônomos intrigados nada mais é do que um asteroide.

Veja o vídeo cedido pelo canal do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa e Instituto de Tecnologia da Califórnia (animação e comentários - 3:16):

As observações e análises foram fundamentadas em parte pela Agência Espacial Americana (Nasa) e apareceram como assunto na revista de ciência Nature na segunda-feira (20).

O administrador associado da diretoria de Missão de Ciência da Nasa em Washington, Thomas Zurbuchen, afirmou: "Por décadas tínhamos a teoria de que tais objetos interestelares estavam por aí a fora, e agora, pela primeira vez, temos evidência direta de que eles existem."

Imediatamente depois da descoberta, telescópios no mundo todo, incluindo o ESO, no Chile foram chamados para medir a órbita do objeto estranho, brilho e cor. Foram combinadas as imagens do instrumento FORS no telescópio ESO usando diversos filtros com outros telescópios largos. Segundo a equipe da Nasa, o asteroide possui uma cor avermelhada, similar aos outros objetos encontrados fora do sistema solar e completamente inerte sem nenhuma poeira sobre ele.

Um internauta disse: "Por que não o usam como uma base espacial?" O misterioso asteroide ganhou um nome, sendo batizado de Oumuamua.

E você o que achou da descoberta? Você é livre para opinar, copiando e colando este artigo em qualquer rede social.

Não perca a nossa página no Facebook!