Já ouvimos falar de vários casos de relacionamento entre professores e estudantes. Esta semana mais um caso que envolve uma professora está sendo julgado. Mas, de acordo com a professora, ela se apaixonou pelo aluno por estar se sentindo muito só.

Uma professora foi presa e está sendo julgada nesta quinta-feira (30), em Sydney, na Austrália, acusada de ter relações sexuais com um adolescente de 17 anos dentro da sala de aula e em outros lugares da escola.

Publicidade
Publicidade

Conforme relatos, a mulher disse que sabia que o que estava fazendo era errado, mas cometeu o crime por se sentir muito sozinha. A mulher, que é casada, tem 34 anos e teve contado sexual com a vítima várias vezes no ano de 2016, quando ela era professora na Sydney Grammar School.

De acordo com a Polícia, a acusada enviou centenas de mensagens para a vítima após o fim do relacionamento. Durante o julgamento no Tribunal Distrital de Nova Gales do Sul, a professora disse que começou ter contato íntimo com a vítima no final do ano de 2015.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

No início deste ano, a mulher se declarou culpada de cinco acusações de agressões sexuais ao aluno. A mulher, que não teve o nome divulgado, disse que no ano de 2016 se encontrou com a vítima cerca de três meses, em sua casa, dentro de sala de aula e dentro de um sala da escola.

Segundo relatos, assim que a professora começou a enviar mensagens de texto para a vítima, ela foi alertada para não ter contato sexual com o estudante. Mas segundo ela, estava se sentindo muito só e o adolescente ajudou a preencher um vazio que ela estava passando em seu casamento.

Publicidade

"Eu estava muito sozinha no momento e acho que ele provavelmente preenchia uma necessidade em mim. Ele ajudando alguém que estava triste e solitária também", disse a mulher.

A professora afirmou que inicialmente tinha beijado o aluno na boca. Em seguida, o convidou para seu apartamento para almoçar. Algumas cervejas depois, começaram a ter contatos mais íntimos e tiveram relações sexuais ao logo de meses. Porém, em abril de 2016, quando a vítima disse que não a amava mais e que ela o tinha magoado, o adolescente decidiu terminar o relacionamento.

Diante disso, a mulher enviou centenas de mensagens para a vítima dizendo que o amava.

A mulher disse no tribunal que enviou as mensagens porque se sentiu culpada e estava tentando se explicar, que estava arrependida e não queria machucá-lo. "Eu queria que houvesse uma maneira de converter minha desculpa em algo que poderia ajudá-lo", disse a professora. Uma nova audiência foi marcada para o dia 13 de dezembro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo