A brasileira Gesonita Barbosa foi presa nesta terça-feira (5), na Itália, pelo assassinato de seu ex-marido, o italiano Antonio Olivieri, de 50 anos. Ela teria arquitetado o crime com seu amante, Paolo Ginocchio, 45

Gesonita mandou uma mensagem de texto para o amante dizendo que a morte do ex-marido a tornaria uma mulher muito rica. Foi exatamente por esse 'deslize' que a polícia chegou até ela.

Motivo

A brasileira é acusados de homicídio agravado pelo ato da premeditação [VIDEO]. O crime foi realizado no dia 23 de novembro, em uma província de Gênova, e foi parcialmente gravado por câmeras de segurança, que flagraram Ginocchio armando uma emboscada para Antonio Olivieri.

O que as câmeras gravaram foi o ato de Paolo desligando a energia elétrica da residência e aguardando Olivieri descer as escadas para religar os disjuntores. Quando isso aconteceu, exatamente como a mulher mandou, ele atacou e matou a vítima com um golpe na cabeça.

Segundo a polícia, a mulher planejou a morte com seu atual companheiro e amante, Paolo Ginocchio, de 45 anos. Em sua ordem de prisão, emitida pela juíza Franca Borzone, diz que Barbosa é uma mulher sem escrúpulos nenhum, vingativa e que mantinha um profundo rancor em relação ao ex-marido [VIDEO], por este motivo, estava disposta a qualquer coisa para vingar-se e ficar com o dinheiro dele.

Relacionamento conturbado

De acordo com registros, Paolo já havia ameaçado Gesonita de morte, por várias vezes. Ele também conseguiu a guarda dos dois filhos da ex-esposa: uma adolescente de 15 anos, fruto do relacionamento dela com outro homem, e um garoto de 10 anos, filho do relacionamento entre eles.

A separação entre eles já estava sendo encaminhada, por esse motivo, a mulher teria que agir rapidamente para herdar os bens do ex, que consistiam numa boa conta bancária, uma garagem e duas casas.

Mais detalhes sobre a brasileira e o crime

A brasileira de 35 anos de idade admitiu à polícia que era viciada em jogos e morava em Sestri Levante, uma província de Gênova, na Itália. De acordo com o jornal local 'Corrieri', o homem foi encontrado com fios elétricos pretos apertados ao redor do pescoço. Dois dias antes do crime, Gesonita pôs fogo na scooter do ex-marido e já estava respondendo judicialmente por isso. O marido já havia sido absolvido de acusação de maus tratos, feita anteriormente pela mulher.

Representada por seu advogado Nicoletta Peri, Barbosa apresentou álibi para o momento do crime e também apontou o fato de não estar presente nas gravações da câmera de segurança, mas isso não foi o suficiente para a polícia italiana descartá-la como suspeita, que agravou-se com as trocas de mensagens registradas.