Um ato de solidariedade e que pode salvar vidas. Este foi o sentimento de mais de 9 mil voluntários que foram doar sangue em hospitais e hemocentros de todo o Brasil, de Moçambique e da República do Chade. A campanha foi realizada pelo grupo de Evangelização da Igreja Universal, durante todo o mês de novembro.

Com as doações, cerca de 36 mil pessoas poderão ser ajudadas – já que uma bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas. Anualmente, no Brasil, 3,5 milhões de doadores realizam transfusão de sangue. No País existem 27 hemocentros e 500 serviços de coleta.

Alisson Lima, de 23 anos foi um desses doadores.

Ele foi ao Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, e sabe da importância do gesto. “Fico muito feliz por tomar uma atitude simples como esta, que pode salvar vidas”, afirmou Alisson.

África

Orlando Alberto Cumbe, responsável pelo grupo de Evangelização de Moçambique, também colaborou, ao lado outros voluntários, na doação de sangue. Orlando é doador há mais de sete anos e explica que boa parte da população não costuma doar por medo de fazer o teste de HIV (AIDS).

Na República do Chade também não existe o hábito da doação, de acordo com Leonardo Gomes Pereira, responsável pelo trabalho da Igreja Universal no país africano.

Segundos dados divulgados pela agência da Organização das Nações Unidas (ONU), o número de doadores na África em 2016 foi de 4,4 milhões, o que cobre apenas de 50% da necessidade anual no continente.

O Chade é um país localizado no centro-norte do continente africano, com cerca de 14 milhões de habitantes e Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo (0,396 - 186º lugar no ranking de países).

Localizado no sudoeste da África, Moçambique tem população de cerca de 30 milhões de habitantes e o IDH é de 0,418 - também baixo -, estando em 181º lugar entre todos os países do mundo.

Requisitos para ser um doador

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que, para doar sangue, é necessário ter entre 16 e 69 anos, pesar acima de 50 quilos, não ter hepatite B, hepatite C, Doença de Chagas, sífilis, HIV (AIDS) e se estiver gripado, esperar no mínimo sete dias para doar sangue.

No dia da doação é necessário estar bem alimentado e descansado.

Após doar sangue as mulheres devem aguardar 90 dias para voltar a doar, enquanto que os homens têm que esperar no mínimo 60 dias. Já para as grávidas o intervalo é entre 90 e 180 dias após o parto.

Mais informações sobre doação de sangue estão disponíveis no site do Ministério da Saúde: http://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/doesangue/

Não perca a nossa página no Facebook!