“Segredo dos Deuses”, é uma série de reportagens que mostram esquemas envolvendo líderes da Igreja Universal do Reino de Deus, do Bispo Edir Macedo, que teriam feito Tráfico de crianças. A série estará sendo exibida a partir deste dia 11 do mês de dezembro em um canal de TV de Portugal, a TVI. Foram divididas em dez matérias, um documentário que envolvem mães de crianças que teriam tido os seus filhos traficados por líderes da igreja de Edir Macedo – que teria orquestrado os crimes [VIDEO] através de um projeto chamado Lar Universal, durante a década de 1990, em Lisboa.

“Essas mães foram literalmente roubadas no que diz respeito aos seus filhos”, diz uma das repórteres que encabeçam as investigações, Alexandra Borges, que ao lado de Judite França, outra repórter, analisaram cerca de 10 mil documentos e algo em torno de 40 processos sobre os acontecimentos [VIDEO]que envolvem sequestro de crianças por parte da Igreja Universal do Reino de Deus – todos os processos serão divulgados pelo canal de TV português, que será dividido em episódios diários sobre o tema.

Crianças iam para o projeto da Universal, e não voltavam mais para suas mães

Pela primeira vez depois que se passaram cerca de vinte anos do esquema da Universal, dezenas de mães decidiram falar sobre o rapto dos seus filhos.

Algumas delas dizem que foram separadas dos seus filhos em um esquema que seria algo benéfico para as mães e para as crianças, no entanto, de acordo com as entrevistadas, os líderes da IURD, na verdade, não permitiram mais que os jovens retornassem para as suas famílias de origem, mas sim, fossem para outras como se estivessem em um esquema de tráfico de crianças não autorizado pelas mães verdadeiras.

De acordo com a repórter Alexandra, a reportagem não tem a intenção de prejudicar a Igreja Universal em suas atividades cotidianas em Portugal, mas sim, segundo a jornalista, trazer à tona uma dor que dezenas de mães sentiram e ainda sentem por terem perdido os seus filhos em um esquema criminoso de tráfico de crianças por uma instituição religiosa mundial que deveria dar apoio às famílias, e não dividi-las.

“Por muitos anos, estas mães foram a tribunais, Segurança Social, polícia e nada resolveram.”, diz a repórter. Ela acrescenta que as reportagens chegam para que todos os cidadãos conheçam o que aconteceu com essas mulheres e que o Estado de direito as ouça. As matérias estão indo ao ar desde essa segunda, 11, e pretende ter o seu término no dia 22 de dezembro, antes do Natal. Edir Macedo e a assessoria de imprensa da Igreja Universal do Reino de Deus ainda não se pronunciaram sobre o assunto em suas redes sociais ou pessoalmente aos repórteres.