Segundo informações dos sites Independent e Mail Online, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (Department of Defence, ou DoD) divulgou nesta semana um vídeo registrado em 2004 que mostra pilotos da Marinha daquele país (conhecida como Navy) perseguindo um objeto voador não identificado pela região costeira da cidade de San Diego, situada no sul do Estado da Califórnia. Acompanhe:

A revelação surgiu após o Pentágono, que é a sede das forças armadas do país, ter admitido que manteve um projeto secreto batizado de Advanced Aviation Threat Identification Programme (AATIP, ou "Programa Avançado de Identificação de Ameaças à Aviação" em português), que teria vigorado entre 2007 e 2012 e despendido a impressionante quantia anual de US$ 22 milhões (o que dá aproximadamente R$ 70 milhões de reais) para investigar OVNIs.

Publicidade

No entanto, mesmo tendo feito a confissão de que pesquisou avistamentos de aeronaves desconhecidas, e afirmado que o AATIP foi encerrado cinco anos atrás, o Pentágono não esclareceu se continua a investigar o fenômeno, mas segundo apoiadores do órgão federal, o programa "continua a existir de alguma forma" até os dias autuais.

Encontro com um OVNI

O vídeo de 2004 divulgado mostra o encontro de um objeto com o tamanho aparente de um avião comercial e dois caças modelo Boeing F/A-18F Super Hornet, que partiram do porta-aviões Nimitz.

Os jatos eram pilotados pelo Comandante David Fravor e pelo Tenente Comandante Jim Slaight, que estavam em uma missão de treinamento de rotina sobrevoando o Oceano Pacífico a 100 milhas (160 quilômetros) da costa da Califórnia.

Repentinamente, o Ovni surgiu em uma tela de radar do cruzador naval USS Princeton, que já estava monitorando o estranho objeto há duas semanas. Como os pilotos se encontravam próximos do "alvo" (nome dado aos objetos detectados em radares), o operador do dispositivo solicitou que as aeronaves se aproximassem com o intuito de fazer uma verificação visual.

Publicidade

Adicionalmente, o militar da embarcação explicou que estavam havendo dificuldades para identificar o artefato, que surgia a 80 mil pés (24 km), descia para 20 mil (6 km), e depois ou sumia na direção do céu, ou simplesmente desaparecia do radar.

Em entrevista ao The New York Times, David Fravor revelou que avistou o objeto flutuando a 50 pés de altitude (15 metros), e que ele era grande o suficiente para agitar o mar abaixo. O OVNI possuía mais ou menos 12 metros de extensão, e apresentava um formato incomum, sendo oval e esbranquiçado.

Além disso, não possuía estruturas como asas ou rotores.

Quando o piloto decidiu fazer uma manobra de aproximação direta, a estranha aeronave voou para longe em uma velocidade incrível. Descrevendo o que presenciou, Fravor admitiu: "Eu não tenho ideia do que eu vi... Aquilo acelerou como nada que eu já tenha visto", e acrescentou que a experiência foi "bastante esquisita".

Os superiores dos pilotos envolvidos no incidente não prosseguiram com mais investigações, e ainda não têm ideia do que o objeto era.

Publicidade

Entretanto, especialistas enfatizam que geralmente existem esclarecimentos racionais para aparentes avistamentos de OVNIs, e que a ausência de uma explicação não pode ser caracterizada como prova de que existe vida extraterrestre inteligente visitando a Terra.