7

Segundo informações divulgadas pelo site Mail Online, um homem foi condenado na Rússia [VIDEO] a passar 15 anos atrás das grades após ter espancado sua própria esposa de forma extremamente violenta, algo que acabou matando-a.

Maxim Gribanov, de 34 anos de idade, atacou a sua mulher, Anastasia Ovsiannikova, enquanto o casal se encontrava na residência que compartilhava na cidade de Lebedyan, situada no oeste daquele país europeu, e a agressão aconteceu quando a companheira de Gribanov lhe disse que pretendia deixá-lo.

O martírio de Anastasia durou horas seguidas, e ela ficou com hematomas por literalmente todo o seu corpo devido aos chutes e socos recebidos.

Na imagem que ilustra esta reportagem, é possível ver a extensão assustadora dos ferimentos da mulher, que foi filmada pelo marido enquanto estava sentada em um sofá – não bastasse ter protagonizado a terrível agressão, Gribanov mostrou o vídeo da esposa machucada para os seus amigos, e se vangloriou do fato de que conseguia manter a esposa "sob controle".

Tentativa de socorro

Anastasia Ovsiannikova, que possuía 28 anos de idade, ligou para o serviço de emergência local depois do incidente, e foi levada às pressas para um hospital apresentando contusões graves, ossos quebrados e hemorragias internas.

Infelizmente, os ferimentos da vítima eram tão graves que ela entrou em coma e acabou falecendo seis dias após ter sido internada.

De acordo com familiares e amigos de Anastasia, a mulher estava tentando criar coragem há algum tempo para finalmente abandonar Maxim Gribanov.

E mesmo já tendo encontrado outra pessoa, a jovem adiava a data do fim do relacionamento, pois se sentia aterrorizada pela reação que o homem teria no momento em que ela lhe revelasse a decisão de que o deixaria.

Durante vários anos, a russa sofreu abusos nas mãos do esposo, que a forçou a abandonar o seu trabalho na prefeitura de Lebedyan. Além disso, Gribanov ameaçou que agiria contra o pai e o irmão de Anastasia se eles o impedissem de espancá-la, ou se o caso fosse levado até as autoridades.

Falando para a mídia local, a porta-voz da polícia, Yulia Kuznetzova, afirmou que o homem havia sido denunciado pelas agressões graves que infligiu à companheira no momento em que os seus crimes foram descobertos, mas as acusações mudaram depois que Anastasia morreu. A oficial acrescentou ainda que Gribanov assumiu ser "parcialmente culpado", alegando que "tinha seus motivos" para ter agido daquele modo agressivo.

Segundo o Mail Online, um amigo da família disse à imprensa da Rússia que o agressor destruiu a vida de uma mulher cheia de esperança, e indignado, afirmou que Gribanov deveria ser tratado da mesma forma que tratou Anastasia.