Talvez você se ache apegado ao celular, mas, com certeza, não tem o mesmo apreço pelo aparelho do que um chinês, que arriscou a própria vida para recuperar o estimado telefone durante incêndio em uma fábrica no município de Ningbo, província de Zhejiang, Leste da China, na tarde de segunda-feira (11).

De acordo com a imprensa asiática e europeia [VIDEO], o sujeito, que não teve a identidade revelada, se transformou em uma verdadeira tocha humana. Eufemismos à parte, ele foi gravado saindo do local com labaredas em todo o corpo.

O vídeo, que mais parece um filme de terror categoria B, mostra o momento em que o destemido asiático surge das chamas.

Desesperado, ele corre em direção às pessoas que estavam próximas, que usam extintores de incêndio para livrá-lo da perturbadora situação.

“Este é o horrível momento em que um trabalhador se transformou em uma bola de fogo humana depois de voltar para uma fábrica no Leste da China para recuperar seu telefone”, destaca TiffanY Lo, jornalista do jornal britânico Daily Mail.

Logo após apagarem o fogo que consumia a vítima, uma ambulância foi chamada. Embora detalhes sobre o estado de saúde do homem sejam escassos, a mídia chinesa informa que os ferimentos são graves. No momento, ele permanece em tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Apesar do incêndio ter consumido a fábrica por completo, um morador da cidade, Jiulonghuzhen, usou a plataforma Weibo, semelhante ao Twitter, para avisar que os bombeiros controlaram a situação depois de duas horas de combate intenso contra as chamas.

Embora o conteúdo do celular seja desconhecido, tudo indica que havia informações importantes nele. Afinal, para colocar a própria vida em risco, no mínimo ele tinha as senhas bancárias salvas no aparelho.

De acordo com a assessoria da fábrica onde ele trabalha, a China Hookah Manufacturing Company, no momento do incêndio, o chinês foi um dos primeiros a sair do local. Entretanto, ao perceber a falta do celular, decidiu encarar o ‘‘inferno’’ para recuperá-lo. Todavia, até o momento não informações se ele conseguiu reaver o objeto.

Veja o vídeo, mas fica o alerta que há cenas fortes, que devem ser evitadas pelas pessoas mais sensíveis:

Numa época em que as pessoas agregam valor além do necessário as selfies e as redes sociais, a vida real parece valer menos que um simples aparelho celular. Ainda que o chinês pareça um completo maluco, ele reflete a doença endêmica da sociedade global, cada vez mais conectada virtualmente. Enquanto isso, aumentam as lacunas das interações interpessoais na realidade física.