Anúncio
Anúncio

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), do bispo Edir Macedo, está sendo acusada de manter um esquema de adoções ilegais em Portugal, de acordo com um série de reportagens para o Jornal das 8, intitulada "O segredo dos deuses", que começou a ser exibida ontem, dia 11 de dezembro, pela emissora TVI.

Após sete meses de investigações, jornalistas da TVI descobriram uma rede de adoções sustentada durante a década de 1990, quando a IURD mantinha um lar de crianças ilegal na cidade de Lisboa. Alexandra Borges e Judite França, responsáveis pelas reportagens, pesquisaram em cerca de 10 mil documentos e 40 processos, além de entrevistarem diversas mães em situação de vulnerabilidade social que tiveram suas crianças literalmente roubadas e com as quais não mais tiveram contato.

Anúncio

Os relatos de famílias e de jovens que teriam sido vítimas do esquema apenas vieram à tona 20 anos depois, uma vez que os casos eram protegidos por segredo de justiça e o acesso às histórias só foi possível após o desligamento de algumas pessoas da IURD, que se distanciaram da igreja. Segundo Borges, o acesso à documentação oficial só foi possível depois de conhecerem esses indivíduos, revelando histórias bastante complexas que irão ao ar na série de reportagens.

As crianças seriam entregues diretamente à Associação Beneficente Cristã, aberta em 1994, mas que apenas foi legalizada em 2001, passando a se chamar Casa de Acolhimento Mão Amiga. A instituição fazia parte do projeto Lar Universal, da Igreja Universal de Lisboa.

Anúncio

Essas crianças eram então adotadas por pastores e bispos de Portugal e do exterior, de maneira irregular. Entre elas estariam dois garotos que hoje são apresentados como netos de Edir Macedo. Há ainda relatos de que um dos membros da igreja chegou a roubar uma criança recém-nascida na própria maternidade, registrando-a como filha biológica.

Universal se pronuncia através de nota

Em nota, a IURD alega que todos os processos de adoção foram realizados de acordo com a lei portuguesa e que a matéria é fruto da campanha difamatória empreendida pelo ex-bispo Alfredo Paulo Filho (que mantém o blog "A outra face da Universal"), desligado da igreja em 2013 por conduta imprópria. Ainda de acordo com a nota, a Igreja Universal informa que irá processar Paulo Filho, bem como a emissora portuguesa TVI.

Anúncio

A página oficial do canal TVI informa que a série já levou à abertura de inquérito no Ministério Público, mediante queixa do Instituto de Segurança Social realizada na quarta-feira, 6 de dezembro. O inquérito foi encaminhado ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa (DIAP).