Pelo que tudo indica o ano de 2018 já terá início com novos conflitos armamentistas, guerras, guerrilhas e tensões entre as nações e os diferentes povos que as constituem. Pelo menos no que depender das palavras do principal líder da República Chechena [VIDEO], o temido Ramzan Kadyrov, no último domingo (25 de dezembro).

Segundo Kadyrov, que representa essa República da Rússia, há indícios claros de que terríveis terroristas receberam a designação para realizarem diversos ataques nessa parte distante e complicada geopoliticamente do globo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

Ramzan foi categórico ao falar para os jornalistas e autoridades nas vésperas de Natal, que o seu governo conseguiu obter informações estratégicas de que muitos terroristas já estão presentes na Geórgia, país vizinho, ex-República russa, que vive às turras com Moscou, e que a próxima missão desses criminosos é adentrar em território checheno para consolidar os ataques terroristas.

O líder checheno fez questão de deixar claro para todos que assim que os terroristas atravessarem a fronteira, eles serão presos ou mortos, [VIDEO]já que as autoridades militares chechenas estão controlando absolutamente todos os canais e os pontos de travessia entre as duas nações.

Enfim, de acordo com Kadyrov se tais enviados do terror atravessarem a região fronteiriça, eles estarão cometendo um grave crime ou ataque terrorista, que será punido com a morte. Daí o interesse constante dos chechenos de monitorar o seu espaço geográfico, e, mais do que isso, de saber o passo a passo dos inimigos.

Especulações sobre quem está bancando o grupo, que tem como negócio o Terrorismo, não faltam. Especialistas no assunto bélico e de relações internacionais falam de EUA, Israel e países árabes de direita, mas Ramzan, como frisado acima, até agora, preferiu manter silêncio sobre essa parte do tema.

Vale frisar que o maioral checheno não especificou quem deu ordens para que os terroristas executassem os ataques na sua república.

Até a década dos anos 90, a república em questão funcionava como um celeiro de terroristas contra Moscou e demais territórios russos [VIDEO], entretanto, logo no começo dos anos 2000, a Rússia logrou êxito em empreender ações antiterroristas contra os guerrilheiros chechenos dessa parte do seu vasto território, tornando Kadyrov um forte aliado, o que ajuda e muito, a manter a estabilidade nessa área que apresenta o potencial constante de rebelião.