Existe uma linha muito fina entre uma discussão e a violência. Não importa como uma pessoa se comportou mal, as pessoas devem saber como lidar corretamente com a situação, para não machucar o próximo. E quando isso acontece, outras pessoas que testemunham a violência não podem deixar de interferir e demonstrar compaixão pela vítima [VIDEO].

Um homem russo, identificado como Maxim Gribanov, de 34 anos, foi preso e condenado há 15 anos de prisão, depois que sua esposa morreu após ser severamente espancada continuamente em sua casa, na cidade de Lebedyan, no oeste da Rússia. Conforme relatos da imprensa local, o acusado golpeou sua esposa e filmou para mostrar a seus amigos.

Homem espanca mulher e mostra vídeo para amigos dizendo como se controlava uma parceira

A vítima foi identificada como Anastasia Ovsiannikova, de 28 anos. A russa foi agredida após dizer ao marido que queria deixá-lo. Depois de chutá-la e batê-la por várias horas, ele a filmou para se gabar de seus amigos sobre como ele a manteve "sob controle". Os espancamentos repetidos resultaram em hemorragias graves, sangramento interno e ossos quebrados.

Segundo o portal de notícias britânico Daly Mail, a vítima ainda conseguiu chamar os serviços de emergência, após as agressões. Ela foi levada às presas para uma unidade médica e ficou em coma induzido. Segundo o portal, após seis dias internada, a vítima não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo [VIDEO].

Familiares disseram que a vítima tinha encontrado outro homem e queria se separar do acusado

De acordo com amigos e familiares, a vítima tinha conhecido outra pessoa recentemente e estava tentando tomar coragem de deixar Gribanov, pois tinha medo que ele poderia fazer alguma coisa de mal contra ela.

Conforme relatos do portal, a vítima havia sido abusada por Gribanov há vários anos e até foi forçada a abandonar o trabalho.

Ele até ameaçou seu pai e seu irmão para não denunciá-lo. "No início, o homem foi acusado de agressão que causou graves danos à saúde da mulher", disse a porta-voz da Polícia Yulia Kuznetzova à mídia local. "Mas depois que ela morreu [VIDEO], as acusações foram alteradas. O suspeito alegou parcialmente culpado. Ele disse que ele tinha seus motivos". De acordo com um amigo da família: "Ela estava tão cheia de esperança, mas esse homem destruiu sua vida. Ele deveria ser tratado da mesma maneira que ele a tratava".

Deixe seu comentário. Ele é muito importante.