Alguns casos criminais são extremamente revoltantes, pois envolvem pessoas indefesas, [VIDEO] que nada fizeram de errado, a não ser escolherem mal alguém para ficarem ao seu lado. Um crime que ocorreu na Rússia teve repercussão mundial nesta semana, como mostra o tabloide britânico 'The Sun'. Uma mulher russa identificada como Anastasia Ovsiannikova, de 28 anos, foi espancada até a morte pelo próprio companheiro, Maxim Gribanov, de 34 anos. Loira e linda, a esposa era vítima constante das agressões domésticas do companheiro. [VIDEO] Ele gravou o momento em que dava socos e chutes contra ela. Maxim enviou o conteúdo para os amigos e familiares de Anastasia, que ficaram revoltados com tamanha perversidade.

Homem soca e chuta a própria esposa até ela morrer e ainda faz vídeo para mandar aos amigos

Maxim sempre teve um histórico violento, mas de uns tempos para cá, aumentou o nível de agressões contra Anastasia. Ele fez questão de filmar o momento em que a companheira aparecia completamente roxa em casa. Sentada e com a cabeça baixa, a mulher mal consegue se mexer. O casal, que morava em Lebedyan, tinha brigas constantes, mas dessa vez, tudo saiu do controle e o homem fez questão de criar provas contra ele mesmo. Apesar de terrível, o vídeo acaba ajudando no esclarecimento sobre o assassinato da esposa do russo, que aparentemente acreditava que ser homem, era simplesmente bater em alguém.

Esposo que matou a própria mulher e fez vídeo é condenado a 15 anos de prisão

O caso voltou a repercutir devido ao julgamento do homem que realizava atos terríveis contra a esposa.

Ele, segundo informações do 'The Sun', acabou sendo condenado a quinze anos de prisão. No julgamento, a acusação constatou que o russo apenas molestou sua mulher até o seu falecimento porque descobriu que, cansada de tudo o que acontecia, ela apenas queria deixá-lo e se ver livre das tormentas da violência doméstica.

Depois de passar vendo dolorosas horas de sua esposa no sofá com ferimentos em todo o corpo, o homem acionou os serviços de emergência. Com hemorragias internas e ossos quebrados, ela entrou em coma no hospital. Seis dias depois, ela morreu. Familiares revelaram que em outras oportunidades, o russo já teria feito o mesmo.

No Brasil, a violência contra a mulher é considerado um crime grave, tanto que existe até mesmo a Lei Maria da Penha, que acaba protegendo milhares de representantes do gênero feminino.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante.