Maxim Gribanov, de 34 anos, foi considerado culpado pela morte cruel de sua esposa Anastasia Ovsiannikova. O crime aconteceu na cidade de Lebedyan, no oeste da Rússia, quando, após anos de maus tratos, ela resolveu deixá-lo. O comportamento de Maxim já era terrível para com sua esposa, de 28 anos, mas pior ficou, quando ela decidiu colocar um ponto final nesse casamento. Ele espancou e abusou de Anastasia até a morte, momento que compartilhou com seus amigos, se vangloriando pela forma que ele controlava sua mulher. [VIDEO]

Agora, ele está enfrentando 15 anos de prisão, depois que ela foi espancada até a morte. Maxim deixou a esposa coberta de hematomas, após a chutar e golpear violentamente.

Após o ataque mais feroz, ele filmou suas terríveis feridas para se gabar a seus amigos sobre como ele a tinha "sob controle". As imagens horríveis [VIDEO] mostram a mulher sentada em um sofá com o corpo coberto de hematomas.

A mulher, de 28 anos, ainda conseguiu chamar os serviços de emergência, e ainda foi levada para o hospital. No entanto, seu estado era demasiado grave. Ela tinha imensos hematomas, feridas, hemorragias internas e ossos quebrados. Horas depois, ela entrou em coma e não voltaria a acordar. Seis dias depois de dar entrada no hospital, ela foi declarada morta.

De acordo com amigos e familiares, Anastasia havia ganhado coragem para deixar Maxim, após anos de sofrimento.

Supostamente, ela teria conhecido um outro homem, que lhe teria dado força para largar o marido, tentando travar esses maus tratos. No entanto, ela sentia medo do que ele poderia fazer quando soubesse de seu plano de divórcio. Afinal, ela tinha mesmo razões para temer.

Ameaçava até a família

A reação de Maxim foi a pior esperada. Durante vários anos, ela havia sido vítima de sua implacável brutalidade e abuso. Ele havia forçado Anastasia a deixar seu emprego na prefeitura, e até ameaçava os familiares dela, caso eles tentassem denunciar seus abusos. Dessa forma, ele espalhava o medo não só sobre ela, mas também de sua família, que não consgeguiu evitar o pior final.

Yulia Kuznetzova, porta-voz da polícia local, disse que ele foi inicialmente acusado de Violência doméstica, mas que após a morte de Anastasia, as acusações foram aumentadas, para homicídio. Em declarações à polícia, ele se revelou culpado pelas agressões, mas insistiu que ele tinha motivos para fazer isso.

Um amigo da família de Anastasia comentou o caso trágico, relembrando que a amiga estava mais confiante. "Ela estava tão cheia de esperança e animada, mas esse homem destruiu sua vida. Ele deveria ser tratado da mesma forma que ele a tratava", disse esse amigo.

Maxim Gribanov enfrenta agora uma pena de 15 anos de prisão.