Uma mulher não resistiu aos ferimentos de um terrível estupro sofrido há dois anos. A mulher passou muito tempo em coma e não saiu mais do hospital após a terrível provação. Faleceu agora, não resistindo aos terríveis ferimentos sofridos nas mãos de um estuprador desumano, em um ataque abominável. O homem foi detido e preso pela Polícia, enquanto a mulher faleceu dois anos após o ataque brutal.

O caso aconteceu na Rússia e chocou a todos pela violência do ataque.

Publicidade
Publicidade

No tribunal, foi revelado que Gizar Ziyangareev arrastou Anna Barmina, de 33 anos, para o meio de arbustos e a estuprou com um galho de árvore quebrado, após ele ter atacado a mulher com uma faca. A provação na floresta foi tão grave que a mulher não pode mais se recuperar.

Os médicos disseram que todos os seus órgãos internos foram dilacerados durante o estupro brutal. Para agravar mais ainda sua situação, as lesões brutais provocaram ainda uma parada cardíaca e ela acabou entrando em coma, e assim ficou durante vários meses.

Publicidade

Anna entrou no hospital, após o ataque, e não saiu mais do local com vida. Ela passou dois anos nesse hospital, em Ufa, no Oeste da Rússia, sendo que no primeiro ano esteve em coma, sem consciência do que havia acontecido. Durante esse primeiro ano em que esteve em coma, Anna perdeu 30 kg.

Após ter recuperado de seu problema cardíaco, os médicos nunca conseguiram curar as lesões internas e Anna acabou perdendo a batalha pela vida dois anos após o ataque doentio.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A morte da jovem acontece pouco depois de o tribunal ter reduzido a sentença do estuprador Ziyangareev.

Ele viu sua pena de 23 anos de prisão sendo reduzida por um mês, uma decisão criticada pela família de Anna, que não entende como ele tem direito a ser poupado após o ataque brutal que cometeu. O estuprador havia argumentado que tinha três filhos e uma mãe idosa dependendo dele, o que teria comovido um pouco os juízes, mas nunca a família de Anna, que não têm dúvidas que ele não passa de um "monstro desumano".

"Eu simplesmente não consigo entender como o tribunal poderia dar um termo tão indulgente. Anna nunca vai se levantar, ela nunca vai falar. E ele vai sair da prisão um dia e continuar a estuprar", disse a mãe de Anna, ainda antes de sua filha morrer.

A jovem foi uma das quatro mulheres que Ziyangareev estuprou em 2015, em uma só semana. Os ataques aconteceram pouco tempo depois de ele ter sido libertado da prisão, também por o mesmo tipo de abusos.

Publicidade

O homem já havia sido condenado por abusos a um vizinho e a uma menina menor de idade.

Na época, o tribunal acabou libertando o homem, que acabou cometendo o mesmo crime. Por isso, a família acredita que ele vai fazer o mesmo, quando sair novamente da cadeia. Ziyangareev teria dito, no momento de sua detenção, que ele não estava arrependido do que havia feito.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo