A Igreja Universal do Reino de Deus [VIDEO] é uma das maiores e mais respeitadas do país. Porém, os últimos dias não tem sido favoráveis a Edir Macedo, isso porque segundo informações do site ‘EL PAÍS’, o netos do pastor foram adotados de forma ilegal.

Eles teriam sido adotados em Portugal na década de 90, fazendo parte de um esquema mantido pela IURD para trazer crianças para o Brasil. A emissora portuguesa TVI teria feito uma entrevista com as supostas mães das crianças e também uma babá que afirma ter cuidado delas.

Uma das supostas mães das crianças afirmou que não teve a oportunidade de ver seu filho. Todas as informações contam que as crianças teriam disso levadas no ano de 1995, quando ambas tinham seus 2 e 3 anos de idade.

Elas teriam ido para um abrigo que era mantido pela Universal, após denuncias de que a mãe das crianças as deixava sozinhas em casa. Após isso, elas foram adotadas por uma das filhas do Bispo Edir Macedo.

Ainda segundo informações, outros pastores também teriam adotado crianças utilizando esse mesmo ‘esquema’. O local foi regularizado em 2004 e teve suas atividades encerradas em 2011.

A reportagem afirma ainda que essa ‘onda de adoções’, teria ocorrido por causa de um pedido do Bispo. Todos os pastores teriam sido orientados a fazer uma vasectomia e após isso, eles partiam para adoção.

A suposta mãe das crianças ainda afirma que nunca deu seus filhos para a adoção e espera revê-los novamente assim que a situação financeira da família melhorar. Luís e Vera, netos de Edir Macedo, gravaram um vídeo criticando a reportagem e a postura da emissora.

Eles também prometeram processá-la por todas essas informações.

Ainda segundo alguns jornais de noticia do país, o MP de Portugal teria aberto um inquérito para investigar esse caso.

Universal afirma que as adoções foram totalmente legais

Em sua defesa a Igreja Universal afirmou que tudo foi feito de acordo com a lei. Além disso, a igreja ainda disse que pode contar nos dedos o número de crianças que foram adotadas dessa maneira. Tudo foi feito com uma decisão judicial e por casais ligados a Universal.

A igreja ainda afirma que a reportagem é apenas uma forma de tentar difamar e sujar o nome da instituição, já que um dos envolvidos saiu do grupo em 2013 e até hoje mantêm uma verdadeira batalha contra o Bispo Edir Macedo.

Já a emissora portuguesa afirma que seus repórteres trabalharam durante meses até encontrar alguns documentos que mostravam que as crianças foram na verdade, roubadas.

Todas as informações são do site 'EL PAÍS'.