3

Segundo informações divulgadas pelo site RT, um chocante acidente ocorreu em pleno dia de Natal na Rússia [VIDEO], quando um ônibus desgovernado invadiu uma passagem subterrânea destinada a pedestres e desceu parte de sua escadaria, o que resultou na morte de cinco pessoas e deixou cerca de uma dúzia de feridos.

Mais especificamente, o atropelamento aconteceu na Avenida Kutuzovsky, situada nas proximidades da estação de metrô Slavyansky Bulvar, na parte ocidental de Moscou. Até o momento, as autoridades locais não estão tratando o caso como um ato de terrorismo.

Acompanhe estes vídeos mostrando o momento da tragédia de diferentes ângulos (ambos contêm cenas fortes):

O condutor do ônibus, identificado como Viktor Tikhonov, de 58 anos de idade, alegadamente se machucou na batida, e foi levado até um hospital – assim como três das vítimas do atropelamento que sobreviveram, mas que precisaram de maiores cuidados.

No estabelecimento médico, Tikhonov foi interrogado pela polícia, e posteriormente levado sob custódia.

Prováveis motivos

Investigadores russos estão trabalhando com duas hipóteses principais para explicar o atropelamento. A primeira delas é mau funcionamento técnico do veículo, e outra é falha humana – algo que foi, inclusive, sugerido pelo próprio supervisor de Viktor Tikhonov, o qual propôs que o condutor pode ter adormecido ao volante e pressionado o pedal do acelerador de forma acidental.

O chefe do motorista também disse à agência RT que o seu subordinado havia começado o turno de trabalho às 13h:30min (no horário local, 8h:30min no horário de Brasília) da segunda-feira (25), e que a fatalidade ocorreu cerca de duas horas depois.

De acordo com o noticiário russo Mash, Tikhonov afirmou que momentos antes do atropelamento havia três pessoas dentro do seu ônibus, e que ele deveria ficar parado no fatídico local do acidente durante 15 minutos, para só então poder prosseguir em seu trajeto.

No entanto, outro coletivo se colocou logo atrás dele, e querendo dar espaço para o colega de profissão passar, Tikhonov soltou o seu freio de mão, e foi neste momento que o veículo teria se descontrolado.

O motorista alegou que "fez de tudo" para frear, mas argumentou que não conseguiu impedir o atropelamento porque o ônibus é operado com câmbio automático.

O filho do condutor, Aleksey Tikhonov, veio a público para rebater a especulação de que seu pai estaria embriagado no instante do acidente, e afirmou que seu parente nunca ingere bebidas alcoólicas enquanto está trabalhando.

A apuração do acidente continua em andamento e está sendo conduzida pelo Comitê de Investigação Russo, órgão federal equivalente ao FBI dos Estados Unidos.