Ouvimos recentemente a controvérsia sobre a vacina Dengvaxia. Aclamada como a primeira vacina do mundo contra a Dengue, a farmacêutica francesa Sanofi Pasteur criou a vacina revolucionária. Eventualmente, no entanto, o fabricante admitiu que Dengvaxia pode representar efeitos nocivos. Este é um fato que gerou um enorme problema, já que mais de 700 mil crianças já foram vacinadas nas Filipinas e os internautas estão completamente indignados com isso. De acordo com a imprensa local, um pai denunciou que a filha morreu de dengue grave depois de receber a referida vacina. [VIDEO]

De acordo com relatos, Nelson de Guzman está buscando justiça pela morte da filha Christine Mae, uma aluna do 5º ano que foi vacinada com Dengvaxia e mais tarde morreu de dengue severa.

O pai procurou os Voluntários Contra o Crime e a Corrupção (VACC) para pedir ajuda ao Departamento de Justiça (DOJ) para "examinar os corpos de três crianças que morreram devido aos efeitos colaterais da vacina.”

Em uma entrevista, ele disse que alguém deveria ser responsabilizado pelo programa de vacinação. "Alguém realmente deve ser responsabilizado. Minha filha ainda estaria viva se não fosse vacinada [VIDEO]", lamentou o pai da vítima.

Segundo o site GMA, Christine "não tinha histórico de infecção por dengue". No entanto, ela desenvolveu dor de cabeça severa e febre após tomar a vacina contra a doença. Ela morreu um dia depois de ser internada no hospital. Christine recebeu uma dose da vacina seis meses antes. Porém, o pai da menina disse que têm documentos que comprovam que sua filha foi vacinada com Dengvaxia.

Ele disse: "Nós temos seu cartão".

Agora, um ano se passou desde a morte da menina e, até agora, a família não recebeu assistência do Departamento de Saúde [VIDEO] ou do governo local. Enquanto isso, o laboratório Sanofi esclareceu que a vacina só pode ser benéfica na prevenção da dengue para aqueles que já possuíam vírus de sorotipos no passado.

Além disso, a empresa defendeu que a vacina não contém vírus que possam prejudicar o paciente. O Departamento de Saúde interrompeu seu programa de vacinação e a Food and Drug Administration das Filipinas, órgão equivalente a Vigilância Sanitária no Brasil, ordenou a suspensão da venda, distribuição e comercialização da Dengvaxia.

O National Bureau of Investigation (NBI) também está conduzindo uma investigação para determinar quem deve ser responsabilizado por colocar a vida do público em perigo. Qual a sua opinião sobre esse incidente? Deixe seu comentário logo abaixo.