De todos os ecossistemas do planeta Terra, os menos explorados são aqueles pertencentes às profundezas dos mares – na verdade, cientistas afirmam que estes locais são mais desconhecidos até do que a superfície da Lua, que se encontra a mais de 384 mil quilômetros de distância de nosso planeta [VIDEO]. Assim, não é de se espantar que descobertas bizarras [VIDEO] ainda aconteçam nessas regiões oceânicas.

Segundo o Mail Online, desde 2016 o pescador russo Roman Fedortsov, da cidade de Murmansk, utiliza suas redes sociais na internet justamente para revelar os seres que vivem neste estranho mundo. Usando uma embarcação do tipo "traineira", que faz a captura de animais marinhos através de longas redes, Fedortsov expõe criaturas que às vezes parecem até ter saído de um pesadelo, como este grupo de peixes de aparência muito estranha:

Animais bizarros

Pesquisadores classificam as profundezas dos oceanos em vários níveis, e os seres apreendidos pelo pescador russo vivem na chamada "zona crepuscular" (a qual também recebe o nome "zona mesopelágica"), localizada entre 200 metros e um quilômetro abaixo da superfície marítima.

Roman Fedortsov costuma pescar do chamado Mar de Barents – uma região rasa pertencente ao Oceano Glacial Ártico, que se situa entre a Rússia e a Noruega e possui uma profundidade média de 230 metros.

Um dos animais que vive nesta "zona crepuscular" é o tubarão-cobra, que possui várias fileiras de dentes e é considerado uma "relíquia viva", em função de suas características muito primitivas.

Entre os feitos de Fedortsov, está a captura de uma fêmea da espécie Linophryne brevibarbata, comumente chamada de "Diabo do Mar Barbudo". O peixe, que é um dos mais raramente vistos no mundo, recebe este nome devido às estranhas protuberâncias que apresenta na parte de baixo de seu corpo, algo que lhe dá uma aparência quase que "alienígena".

Algumas vezes, até mesmo o pescador russo fica surpreendido com os seres que ele consegue trazer à tona. Um exemplo disso é este animal apresentado a seguir, que não foi identificado por Fedortsov e que possui dentes bizarramente semelhantes aos dos humanos:

No entanto, não são apenas os peixes que vivem nessas grandes profundidades. Na mesma região, também podem ser encontrados artrópodes marinhos (família a qual pertencem os caranguejos e as lagostas), como as chamadas "aranhas do mar" – criaturas alaranjadas com o tamanho aproximado da mão de uma pessoa adulta.

Veja mais algumas imagens: