3

De acordo com o Mail Online, a polícia do Paquistão conseguiu resgatar uma menina de apenas 10 anos de idade que foi vendida pela própria mãe [VIDEO] a um homem de 50, e o "negócio" foi acertado porque a família da garota precisava pagar um empréstimo cujo valor equivale a pouco mais de R$ 15 mil.

O incidente ocorreu na província de Sind, e teve como cenário a casa de um agente de casamentos chamado Muhammad Mehar. Na celebração estavam presentes 11 pessoas, incluindo a "noiva", Pathani Mangrio, o "esposo", Jeetmal Mehar, e a mulher que deu à luz [VIDEO] a garota, Masmat Nabiat.

Um dos policiais envolvidos no caso, Gulzar Mari, revelou que tudo aconteceu na última terça feira (19) por volta das 11h:00min (horário local, 04h:00min no horário de Brasília), quando a polícia recebeu a denúncia de que uma criança estava sendo casada com um homem quinquagenário.

Ao saberem do fato, os agentes agiram prontamente, foram até a residência de Muhammad Mehar e invadiram a habitação momentos antes que o contrato matrimonial fosse assinado.

Todos os indivíduos que assistiam à cerimônia foram levados para uma delegacia – exceto o noivo, que conseguiu se evadir. Assista ao momento em que os envolvidos são conduzidos pelas autoridades:

Venda da filha para pagamento de empréstimo

Para que o casamento fosse aceito pelos pais de Pathani Mangrio, Jeetmal Mehar ofereceu-lhes o equivalente a quase R$ 24 mil.

Tentando explicar a negociação envolvendo a menina, Masmat Nabiat afirmou que tanto ela quanto o seu marido enfermo – teria sido justamente para tratar a doença do homem que o empréstimo foi realizado, já que a família possui restrições financeiras – não queriam de forma alguma cometer o que a mulher chamou de "injustiça" contra a filha, mas se justificou dizendo que o casal "não teve escolha", pois a dívida foi contraída junto a "pessoas influentes" que estavam cobrando o que lhes era devido.

Os melhores vídeos do dia

Segundo Nabiat, os credores queriam que a família se desfizesse de sua casa para que o pagamento fosse efetuado – foi neste cenário que, através de algumas fontes, o agente de casamentos Muhammad Mehar ficou sabendo da situação e propôs a venda da garota para Jeetmal, algo que solucionaria o problema da falta de dinheiro.

Na quarta-feira (20), os envolvidos foram levados a um tribunal, e foi estabelecido que Pathani Mangrio deveria ser entregue ao seu avô materno até que as investigações sobre o caso sejam concluídas. Todas as outras pessoas flagradas no casamento foram detidas até que o seu julgamento ocorra, e a pena mínima por casar crianças forçadamente no Paquistão é punível com um mínimo de dois anos de prisão.