A Polícia da Turquia prendeu nesta quinta-feira, dia 28, 38 pessoas acusadas de pertencerem ao grupo extremista jihadista Estado Islâmico (EI). As prisões ocorreram durante a madrugada na região da cidade de Bursa, na região oeste do país. Segundo informações da agência de notícias Anadolu, veiculadas pelo Jornal de Notícias, de Portugal, alguns dos detidos são de nacionalidade síria.

Na última semana a polícia turca já havia detido 12 suspeitos de ligação com o EI na cidade de Adana. As investigações da polícia turca contra possíveis células do EI no país se intensificaram desde o início deste ano, quando um atirador matou 39 pessoas em uma boate em Istambul durante uma festa de ano novo.

Em junho de 2016, o país já havia sofrido com um ataque terrorista de grandes proporções, quando tiros e bombas deixaram 42 mortos no aeroporto Atatürk, o maior do país, também em Istambul.

Além disso, o governo turco também proibiu celebrações de ano novo em alguns locais públicos de Istambul, a maior e mais populosa cidade do país. Tradicional reduto de reuniões populares, a praça Taskim não terá concentrações de ano novo nesta virada, segundo informado pelo governo local. A intensão é a de evitar aglomerações que possam virar alvo de ataques do EI e de outros grupos extremistas.