O líder da República Popular de Donetsk, Alexander Zakharchenko, afirmou que a nova lei aprovada pelo Parlamento da Ucrânia sobre a reocupação da região rebelde do Donbass (leste do país) é um sinal de que “a guerra está vindo”.

Ao comentar o ataque de forças ucranianas a um ônibus civil, que deixou uma pessoa morta e outra ferida, próximo a um posto de controle da localidade de Perlyna Novortroitsk, em Donetsk, o dirigente afirmou que a ação faz parte da nova ofensiva do governo central da Ucrânia para recuperar o leste do país.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Uma operação dessa envergadura tem agora o respaldo da lei ucraniana. No dia 18 de janeiro, o parlamento ucraniano aprovou a lei de integração do Donbass, que considera as autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk como territórios “ocupados” pela Rússia, considerada um “país agressor” – embora Moscou não tenha envolvimento direto ou oficial no conflito.

Sendo assim, essa lei dá poderes ao presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, para enviar as forças armadas ao Donbass para recuperar os territórios rebeldes a fim de “restabelecer a integridade territorial da Ucrânia”, conforme declaração do secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional do país, Alexander Turchynov, recolhida pelo serviço de imprensa do órgão estatal.

Zakharchenko acredita que a nova lei ucraniana é um indício da preparação das autoridades de Kiev para a guerra total [VIDEO] e definitiva contra as repúblicas populares. “Estamos à espera da guerra”, revelou à imprensa na última segunda-feira (22), em entrevista veiculada pelo jornalista Patrick Lancaster. “Tudo isso é direcionado para o início da guerra”, completou.

Ele imagina que a nova ofensiva militar das forças armadas ucranianas ocorrerá durante a realização da Copa do Mundo de futebol na Rússia, entre junho e julho.

As eleições presidenciais deste ano também serão outro evento pelo qual os russos se manterão ocupados, o que pode ser uma oportunidade para a Ucrânia ganhar posições para recuperar o controle do leste do país, que faz fronteira com a Rússia.

Embora fale em uma nova guerra, na verdade Zakharchenko se refere a uma possível nova batalha, talvez decisiva. Isso porque a Ucrânia já está em guerra com as forças separatistas do Donbass desde abril de 2014, quando o novo governo ucraniano iniciou operações militares [VIDEO] para reanexar as repúblicas rebeldes criadas após o golpe de Estado de fevereiro de 2014.