Uma garota de apenas nove anos foi obrigada a se casar com um homem de 39 anos em uma vila perto de Musiri, Tamil Nadu na quinta-feira (24). No entanto, a Polícia tinha recebido uma ligação em anonimato relatando o caso. Conforme relatos, logo uma investigação para apurar os fatos foi aberta. O acusado de ter se casado com a vítima não teve o seu nome revelado para proteger a identidade da garotinha. [VIDEO]

De acordo com a polícia, a menina, uma aluna de classe 4, pode ter sido forçada a se casar com um homem que era quase 30 anos mais velho do que ela. O caso veio à tona assim que começou boatos que um casamento infantil tinha sido realizado em uma pequena aldeia chamada Minnathampatti em Thottiyum Taluk, na Índia.

A vítima morava junto com a mãe o pai é falecido

Durante o trabalho de investigação da polícia, ficou comprovado que a garotinha estuda em uma escola de governo local e mora com apenas com sua mãe, o pai da menia é falecido. A vítima foi retirada dos cuidados da mãe e levada para o Comité de Assistência à Criança (CAC). O comité confirmou a veracidade dos fatos acrescentado que houve várias conversas sobre o casamento e a menina agora está sendo cuidada sob sua custódia. [VIDEO]

"Os relatórios preliminares mostraram que houve uma proposta para o casamento. A menina está sendo mantida sob nosso cuidado. Estamos aguardando relatórios a esse respeito, após o qual decidiremos sobre o futuro", disse o presidente da CAC, Trichy.

Moradores afirmaram que é uma prática comum casar crianças com homens mais velhos

Moradores admitiram para a polícia e para o comité que uma garota de até nove anos de idade que estava sendo casada era uma prática comum na aldeia.

Segundo o site Timesofindia, informou que era destinado a "manter o relacionamento intacto" entre a garota e o homem para o futuro deles. E uma vez, a menina atinge a puberdade, a garota é inevitavelmente casada com aquele homem. [VIDEO]

Relatórios apontam que homens que se casam com criança não são presos e nem punidos

O relatório forneceu estatísticas sobre o número de casamentos infantis que foram impedidos entre 2008 a 2017 e foi dito ser cerca de 6.658 casos. No entanto, havia apenas 158 casos que tinham um inquérito policial arquivado contra os perpetradores. O relatório também mencionou que os acusados geralmente não são presos e muitas das vezes não sofrem nenhuma punição pelos crimes cometidos. Tudo o que o acusado tem a fazer é assinar um papel estampado que lê, que eles não deixariam a criança se casar até que ele ou ela se tornem adultos.