No último sábado de 2017, 30 de dezembro, por volta das 19h30, residentes do pequeno município de Ocaña, cidade com cerca de 11 mil habitantes, situada ao norte do departamento de Santander (Colômbia), foram surpreendidos por uma estranha luz de coloração alaranjada.

Notado por milhares de residentes e filmado por centenas de testemunhas, o fenômeno, segundo os observadores, se moveu até a cidade vizinha de Águas Claras, onde desapareceu.

Reportado pelo portal de notícias Pulzo, da Colômbia, o assunto rapidamente repercutiu na internet e na tradicional imprensa britânica, como o jornal Daily Mail e Daily Mirror. Confira as manchetes.

Apesar das pessoas se espantarem com o evento e alegarem se tratar de uma pretensa invasão alienígena [VIDEO], e das autoridades permanecerem em silêncio quanto á procedência da anomalia, a mídia local sugere uma explicação plausível para a ocorrência.

Ainda que a bizarra luz continue desconhecida, jornalistas avaliam a possibilidade de ser um balão ou mesmo uma lanterna militar (luz de fogo), usada em treinamentos.

“Em qualquer caso, a luz chamou a atenção dos habitantes desta região norte de Santander e imediatamente se tornou viral através das redes sociais”, comenta o Pulzo.

As dezenas de filmes no Youtube mostram ela iluminando boa parte do céu do município, aparentemente nublado naquele momento. Em uma gravação, o autor Sebastian Pacheco comenta a raridade do acontecimento.

“Uma luz muito brilhante que apareceu no céu na noite de 30 de dezembro de 2017, em Ocaña, não sei se (foi vista) em outros lugares, mas aqui está o vídeo. Raro e impactante”.

Outro filme, exibido pelo residente local Ramon Chacon, gerou uma acalorada discussão sobre o objeto em questão ser lanternas militares, chamadas pelos colombianos de ‘bengalas’.

Enquanto uma minoria acredita nessa hipótese, a maioria a rejeita. “Já investigaram, são bengalas do exército, mas passamos um grande susto”, comenta Santiago Noriega.

“Você é estúpido? Isso não é uma bengala. As chamas não são tão grandes e você pode ver pequenas luzes”, retruca Lucas Hilbert.

“As bengalas não duram tanto em uma posição e, além da luz, têm dois objetos”, complementa Wilmar Medina. Confira esses e outros comentários na íntegra.

Uma coisa é fato: se a claridade decorresse dos militares, certamente, eles admitiriam a causa do episódio. Porém, o silêncio das Forças Armadas perante a imensa repercussão do caso, só faz aumentar o mistério a respeito do incidente. Principalmente depois das bombásticas revelações do Pentágono sobre programas para pesquisar óvnis e alienígenas [VIDEO].