2

Segundo os sites Mail Online e Neos Kosmos, surgiram informações nesta primeira semana de 2018 a respeito de um caso chocante [VIDEO] que ocorreu na Véspera de Ano Novo em uma das ilhas que compõem a Grécia, quando um casal de turistas estrangeiros teria realizado uma cerimônia satânica e cometido suicídio [VIDEO] a facadas como desfecho do ritual.

O homem envolvido no incidente não teve o seu nome divulgado, mas é sabido que ele nasceu na Alemanha e possuía 30 anos de idade. Já a mulher, proveniente da Bulgária, foi devidamente identificada como Lilia Botuseva, de 23 anos. De acordo com oficiais locais, os corpos estavam em um dos quartos de um estabelecimento conhecido como guest house (casa transformada em um tipo de acomodação, que comumente apresenta baixo custo de estadia) que a dupla havia alugado na aldeia de Vlachata, situada em Cefalônia – território localizado na costa oeste grega.

A polícia revelou que os cadáveres de Botuseva e de seu namorado estavam cobertos de sangue, e no local onde o ritual aconteceu, foram encontrados objetos como facas e velas. Além disso, havia no recinto um colar com um pentagrama invertido pertencente à mulher – sinal em formato de estrela de cinco pontas, no qual um dos vértices aponta para baixo e assinala a direção do inferno (simbologia que indica o assim chamado "reino de Satanás").

Suicídio a facadas

Lilia Botuseva e o companheiro entraram na Grécia usando um carro com placas falsas que o homem alugou em seu país de origem. Eles estavam hospedados na guest house de Vlachata desde o dia 26 de dezembro, e seus corpos foram encontrados no dia 31 pelo próprio dono do estabelecimento.

Segundo um relatório confeccionado pela legista do caso, Angeliki Tsiola, as evidências colhidas apontam que o casal de turistas deve ter mesmo cometido suicídio a facadas após realizar uma cerimônia satânica na véspera de 2018 – conforme revelou o site Neos Kosmos, o período de 24 horas que antecede a primeira lua cheia de um novo ano é frequentemente associado a sacrifícios e rituais dedicados ao Demônio.

Tsiola atestou também que as análises feitas nos cadáveres mostraram que a mulher búlgara se matou primeiro, provocando em si várias feridas fatais – algo a ser destacado é que o corpo dela já possuía cicatrizes anteriores de auto-dano, provavelmente causadas em rituais semelhantes àquele do suicídio. Acredita-se que o homem alemão primeiramente assistiu a namorada falecer, e na sequência entrou em uma banheira cheia de água, onde enterrou uma lâmina em seu próprio coração.

Botuseva estava desaparecida desde o dia oito de junho deste ano.