Na última quarta-feira (24), forças do Exército Árabe Sírio se enfrentaram com um grupo de terroristas nas proximidades de Al-Tanaf, na fronteira sudeste entre síria e Iraque. Segundo a agência russa Sputnik News, oficiais russos afirmaram ter encontrado “modernos equipamentos de guerra radioeletrônica de fabricação europeia” e várias munições em posse dos jihadistas.

A nova descoberta se soma às dezenas de casos revelados pelas autoridades sírias e russas – que combatem juntas contra grupos terroristas como o Estado Islâmico – de contrabando de armas provenientes da Europa para as organizações antigovernamentais na Síria.

Publicidade

Em janeiro de 2017, o exército sírio havia encontrado 45 foguetes franceses de 68 mm e morteiros de fabricação europeia em um armazém utilizado por terroristas na cidade de Hama, no centro-oeste do país. A informação foi veiculada pela agência de notícias libanesa al-Ahed.

Armamento norte-americano

No mesmo mês, foram capturados, em Aleppo, grandes estoques de armas de fabricação norte-americana. A descoberta ocorreu pouco depois da libertação da cidade, que ficou sob controle de grupos armados de oposição ao presidente Bashar al-Assad entre 2012 e 2016.

Segundo as autoridades sírias e analistas independentes, esses armamentos poderiam ter sido entregues disfarçados no meio dos comboios de ajuda humanitária oferecida pelos EUA e aliados ocidentais à população civil da cidade durante a reconquista do exército sírio – inimigo das forças americanas.

Ainda em meio à dominação de Aleppo pelo exército sírio, o canal de televisão libanês al-Mayadeen noticiou que os militares haviam encontrado alimentos armazenados pelos guerrilheiros, também de origem norte-americana e turca.

Publicidade

Em novembro do ano passado, novas armas de origem estrangeira foram encontradas em posse de terroristas. Durante a ofensiva sobre a cidade de Deir ez-Zor, no leste da Síria, as forças oficiais descobriram “muitas armas, maquinaria e equipamento de fabricação estadunidense, europeia e israelense”, conforme revelou um militar sírio à Sputnik.

Origem israelense

Essa não foi a única descoberta de produtos bélicos vindos de Israel, na Síria. Na mesma cidade de Deir ez-Zor, o exército sírio encontrou esta semana minas e substâncias tóxicas de fabricação israelense, segundo declarou um oficial à agência estatal síria SANA.

Na mesma operação também foram encontradas armas pesadas produzidas no Ocidente. Todas estavam em posse de terroristas do Estado Islâmico, de acordo com a agência.

Tanto Rússia como Síria têm denunciado, reiteradamente, desde o início da guerra, em 2011, que o Ocidente vem fornecendo apoio a grupos terroristas atuantes em território sírio. Por sua vez, os EUA e seus aliados alegam que sua ajuda financeira e militar tem como destino somente combatentes “moderados” de oposição a Assad.