O caso está preocupando a todos, depois de um incidente impensável ter acontecido em um hospital de uma das mais conhecidas capitais do mundo. Aconteceu em Roma, na bonita Itália, quando uma mulher deu entrada em um hospital para dar à luz seu filho e acabou sendo abusada enquanto estava em trabalho de parto. Tão grave quanto o abuso e indecência de que esse homem está sendo acusado é também a forma fácil como ele entrou no hospital e na sala de partos, sem que ninguém o identificasse ou parasse suas intenções.

Isso aconteceu em uma das mais importantes capitais mundiais e está causando indignação. A mulher gestante é italiana, tem 43 anos, e ficou horrorizada quando esse homem se expôs perante ela.

Ela já se encontrava em trabalho de parto e estava preparada para dar à luz, quando o homem teria tocado nas suas pernas e genitália, antes de começar a se masturbar na frente da mulher, que ficou completamente chocada [VIDEO]. O homem foi nesse momento dominado, impedido de continuar para indecências ainda mais graves e detido.

A vítima conseguiu gritar e foi ajudada pela equipe do hospital, que conseguiu parar essa agressão horrível. O homem foi, entretanto, detido e identificado. A mídia italiana já esclareceu que esse homem tinha um passado ligado ao crime. O homem é da Somália, mas estava vivendo na Itália, há cinco anos, quando cometeu esse último crime, que o pode devolver de volta a seu país.

Afinal, ele estava vivendo no país com autorização de residência, que poderia agora ser-lhe negado, assim que for julgado em tribunal e ele poderia mesmo ser forçado a regressar a seu país, após esse crime revoltante.

A Polícia revelou ainda que esse não é o primeiro crime em que ele é flagrado, tendo já outros episódios passados, o que poderia agravar sua sentença.

Se desconhecem detalhes de como tudo aconteceu dessa vez, mas os italianos estão indignados pela facilidade como o acusado se esgueirou em um hospital e teve livre acesso a espaços tão importantes como uma sala de partos. "Ele poderia ter matado alguém" e "se ele roubasse um bebê?" são alguns dos comentários perante um caso muito estranho.

A verdade é que ele conseguiu se infiltrar nesse espaço, sem que ninguém o detivesse até que cometeu o abuso, chamando as atenções. O homem teria roubado o uniforme de enfermeiro e conseguiu fazer se passar por um trabalhador do hospital sem que ninguém o reconhecesse e foi caminhando pelo hospital, como se nada acontecesse.

De acordo com vários jornais locais, o homem somali entrou no Hospital Sant'Eugenio, na véspera de Ano Novo, e conseguiu roubar várias coisas de um armário, na sala de enfermagem.

Entretanto, ele foi preso em flagrante e foi acusado de violência e abuso agravado. Quando perguntado, durante uma audiência judicial por que estava no hospital na véspera de Ano Novo, ele respondeu: "Somente Deus sabe". O jornal italiano La Stampa acrescenta ainda que o homem somali será submetido a uma avaliação psiquiátrica. O julgamento foi agendado para a próxima quarta-feira, 10 de janeiro.