Segundo uma reportagem do portal The Diplomat, especializado em noticias da Ásia, durante um dos testes nucleares feitos pela Coreia do Norte em 2017, um míssil atingiu uma cidade do próprio país. Segundo a publicação, esse caso aconteceu durante os testes do dia 28 de abril do ano passado.

Fontes ligadas ao governo norte-americano afirmaram que a única informação que se tinha a respeito desse teste era que o projétil não tinha conseguido sair do território norte-coreano. O editor-chefe do The Diplomat, Ankit Panda, autor da publicação, afirmou em entrevista à BBC que não se tinha conhecimento de como esse míssil havia falhado e o que acontecera com ele.

O que aconteceu foi que, durante o voo, o motor do projétil acabou falhando por motivos desconhecidos e acabou caindo dentro da própria Coreia do Norte.

De acordo com a publicação, que utilizou fontes ligadas ao governo dos Estados Unidos, a queda do projétil ocorreu na cidade de Tokchon, vindo a provocar danos “consideráveis” na localidade. Ainda segundo Panda, o ocorrido pode ser conferido através de imagens de satélite.

Falta de informações

Através apenas das imagens de satélite não é possível saber se o acidente deixou vítimas. Porém, o pesquisador Dave Schmerler, do Centro Americano James Martin para Estudos de Não Proliferação, afirmou que os danos materiais são bem evidentes nas imagens.

As imagens de satélite feitas após o lançamento do míssil mostram uma grande mancha negra, que seria o local de queda do projétil.

As autoridades norte-coreana não fizeram nenhum pronunciamento após a realização do teste, o que reforça a tese de algo de errado aconteceu.

Alcance médio

As características do míssil não foram reveladas no teste, mas autoridades dos Estados Unidos acreditam que se tratava de um Hwasong-12, um míssil de alcance intermediário. Esse seria a terceira vez que a Coreia do Norte utilizava esse tipo de míssil em testes. Pouco depois, em maio de 2017, um teste com o mesmo tipo de míssil foi bem-sucedido, quando atravessou todo o espaço aéreo do vizinho Japão.

Houve avanços

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez duras ameaças a Pyongyang, mas isso não foi o suficiente para que a Coreia do Norte parasse de testar seus mísseis, e devolveu duramente as ameaças feitas por Trump. Durante 2017, os coreanos conseguiram grandes avanços na área nuclear, sendo que foi testado com sucesso um míssil intercontinental, capaz de alcançar qualquer ponto no território dos Estados Unidos.

Em entrevista recente, o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, afirmou ter sempre um “botão nuclear” na sua mesa. Porém, ao mesmo tempo, deixou clara a possibilidade de uma reaproximação com a vizinha Coreia do Sul.