A imagem de uma criança algemada e presa está causando protestos no mundo todo. O garoto foi acusado de agredir o professor e, por isso, levado pelos policiais, sendo que ele já tinha sido detido outras vezes por bater nos coleguinhas. A mãe do menino disse que houve abuso por parte dos policiais e o filho sofreu atos violentos. A foto está circulando na internet e já causou revolta e indignação em pessoas do mundo todo.

O fato se deu na Flórida, nos Estados Unidos, e as autoridades de educação disseram que não houve abuso e que todo protocolo foi seguido na prisão do menino, que tem somente 7 anos de idade.

Publicidade

Mesmo assim, foi algemado. Além de ser apreendido, o estudante será encaminhado para internação em um centro de saúde mental.

A revolta dos pais vem ganhando apoio não só na Flórida, mas em todo Estados Unidos e pessoas de outros países estão se juntando a eles, pedindo que a criança seja tratada com dignidade e respeito. O pai da criança negou qualquer tipo de transtorno psicológico e não quer ver o filho no centro de saúde mental. A polícia informou que isto se faz necessário, já que é a segunda fez que a criança se envolve em algo deste tipo.

Em novembro passado, o garoto deu vários socos em seus colegas e também em alguns funcionários da escola. Quando a polícia chegou, e ele foi abordado, ficou ainda mais agressivo, informou o relatório sobre o motivo de internar a criança.

Dessa vez, o menino deu socos, puxou cabelo de outras crianças e chutou as costas do professor que pediu para ele não ficar brincando com a comida, mostrando-se extremamente agressivo. De acordo com o policial que foi até a escola e efetuou a apreensão do estudante, ele foi enquadrado na lei Baker Act, que vigora na Flórida e autoriza a polícia a encaminhar os cidadãos mentalmente doentes para um centro de saúde mental, permanecendo lá por 72 horas, mesmo que seja contra sua vontade.

Publicidade

Em novembro do ano passado, quando o menino foi preso também por agressão, ele foi encaminhado a um hospital, onde os médicos avaliaram que ele representa uma ameaça para a sociedade. Mercy Alvarez, mãe do aluno, disse que seu filho não é doente mental e que prendê-lo daquela forma foi um abuso por parte dos policiais.

Ela também reclamou que não a deixaram acompanhar o filho no centro de saúde mental e que o menino em casa nunca foi agressivo. "Isso é demais para um garoto da idade dele", disse a mãe revoltada.

O policial informou que o professor e os demais alunos são testemunhas de que foi preciso agir com mais rigor.