Uma garotinha de nove anos tornou-se a quarta pessoa do leste da África a morrer de uma doença suspeita de sangramento ocular, nas últimas semanas. Funcionários da Saúde dizem que a menina, do distrito central de Nakaseke, testou positivo para a Febre Hemorrágica da Crimeia-Congo (FHCC), que causa surtos graves de febre hemorrágica viral. Segundos relatos, a doença pode matar 40% das pessoas infectadas. Acredita-se que três pessoas morreram da doença nas últimas semanas. [VIDEO]

Com a perspectiva de que a doença já esteja espalhada por milhares de quilômetros, se teme que seja mais mortal do que a Peste Negra, que matou cerca de 50 milhões de pessoas na Europa na Idade Média.

A ministra da Saúde de Uganda, Sarah Opendi, confirmou que as equipes de socorristas de emergência estão sendo implantadas nos distritos de Nakaseke e Luweero. depois que a menina morreu no hospital de Kiwoko.

"Os resultados do Uganda Virus Research Institute testaram positivo para a Febre Hemorrágica da Crimeia-Congo e negativos para outras febres hemorrágicas virai,s como Ebola, Marburg, Rift Valley Fever e Sosua", disse Opendi, de acordo com site Daily Star. Os sintomas da febre hemorrágica viral (VHF) incluem sangramento de orifícios, incluindo os olhos, ânus e bocas, dores de cabeça, vômitos, diarreia e dores musculares [VIDEO].

Segundo informações da imprensa local, a doença é transmitido aos seres humanos através de picadas de carrapatos ou contato com carne crua e sangue animal infectado.

Não há vacina disponível para pessoas ou animais. A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que um surto da doença poderia constituir uma ameaça para os serviços públicos de saúde devido ao seu potencial epidêmico. "O surgimento de uma suspeita de febre hemorrágica viral no Sudão do Sul poderia evoluir rapidamente, e as informações são críticas, incluindo a confirmação laboratorial da etiologia da doença, são necessárias para os esforços de resposta direta", escreveram no relatório antes das últimas mortes. [VIDEO]

"É necessária uma vigilância reforçada em populações humanas e animais afetadas para facilitar a detecção rápida de casos e respostas de humanos e animais. A capacidade reforçada para administrar clinicamente novos casos também é necessária na área afetada". A peste negra matou cerca de 75 e 200 milhões de pessoas na Ásia e na Europa entre 1346 e 1353. Se acredita que ela tenha sido espalhadas por ratos ao viajar pela Estrada da Seda.

Qual a sua opinião sobre esse possível surto desta doença? Deixe seu comentário logo abaixo.