O Peru sofreu nesta madrugado um de seus maiores tremores já registrados. O tremor de 7,3 graus de magnitude arrasou a costa sul do país. O terremoto [VIDEO]deixou um morto e cinquenta e cinco feridos, segundo o balanço atual da Defesa Civil nacional, contrariando o que General Jorge Chavez havia noticiado anteriormente, que seriam dois mortos e sessenta e cinco feridos. A atualização foi dada pelo próprio Chavez, que é o chefe do Instituto Nacional de Defesa.

O terremoto teve epicentro de 31 quilômetros a sudeste da cidade costeira do departamento de Arequipa (Acari), com o registro às 07h18, horário de Brasília, sendo às 04h18 o horário local.

Cerca de quinhentos quilômetros da Capital Lima, segundo o USGS - Serviço Geológico dos Estados Unidos.

O presidente Peruano Pedro Pablo Kuczynski sobrevoou todas as áreas que foram atingidas e relatou que o governo está atento e preocupado com toda a situação. Disse ainda que a vítima do terremoto morava em uma casa de adobe, que desmoronou com o tremor. Milhões de Peruanos vivem nesse tipo de casas, que tem como matéria-prima barro, madeira e pedra, tornando-as muito vulneráveis às oscilações dos terrenos durante os tremores.

Há falta de energia elétrica no local e as vias estão obstruídas, sem contar que a localidade é de difícil acesso. Por isso a ajuda humanitária está sendo transportada de aviões militares. De acordo com Chavez, estão sendo levadas barracas para os desabrigados.

A ideia é que iniciem imediatamente a reconstrução dos locais mais afetados.

Para isso foi declarada emergência, segundo o Presidente do Conselho de Ministros.

Muitos peruanos foram para as ruas com medo dos tremores e as notícias se espalharam rapidamente pelas redes sociais.

A área atingida não é muito populosa. Para se ter uma ideia, o mesmo Peru foi atingido em 15 de agosto do ano passado (2017), mais especificamente ao sul de Lima por um terremoto de 7,9 graus. Esse terremoto deixou mais de quinhentos mortos e mais de dois mil e duzentos feridos, além setenta e seis mil casas em ruínas. Totalizando quatrocentos e trinta e uma mil pessoas atingidas.

O desastre acontece logo na semana em que o Papa Francisco chegará ao país. Na próxima quinta-feira, o Sacerdote realizará uma visita de três dias ao Peru, após sua visita ao Chile. Seu trajeto inicial seria Lima, Amazônia e Norte Peruano, mas devido ao desastre não se sabe agora se o Papa irá mudar sua rota e passar também pela localidade atingida.