Fake news é um termo novo, um neologismo que define as notícias inverídicas, hoje amplamente utilizado pelos sites de notícias falsas, pelos meios sociais e pela mídia, mas que teve sua origem nos meios tradicionais de comunicação.

As fake news são apresentadas como fatos verídicos, mas não têm nenhum fundamento real, são fabricadas do nada, são criadas deliberadamente [VIDEO] e sempre trazem algumas intenções embutidas. Até mesmo uma propaganda pode ser uma falsa notícia e portando uma fake news.

As notícias falsas a serviço da desinformação

As fake news funcionam como um tipo de imprensa marrom, cuja principal intenção é deliberadamente, desinformar a massa com boatos ou informações sensacionalistas e falsas via rádio, televisão, online ou jornal impresso, com manchetes atraentes e enganosas com o objetivo de alcançar lucros vantagens políticas

Quase sempre essas notícias se aproveitam de manchetes atraentes para aumentar o número de leitores, independentemente de a história ser ou não verossímil.

Essa prática prejudica o trabalho jornalístico profissional, dificultando a cobertura de notícias verídicas e significativas.

A ameaça das fake news

Há pouco mais de um ano, a maior parte dos brasileiros não tinha a menor noção do que fosse notícia falsa, ou fake news, é recente a preocupação com o seu surgimento e propagação, pois afeta a sociedade em todos os seus setores. No entanto, o fenômeno apenas começa a se mostrar e seu impacto já é alarmante. Nesse contexto, interferindo na política, na mídia, e até nos resultados de uma eleição presidencial.

Uma conceituada revista brasileira analisou 534 postagens sobre a política brasileira no Facebook, consideradas falsas, em 12 páginas famosas pela prática de fake news, e o resultado foi alarmante.

O alarde sobre as falsas notícias não é só no Brasil

Também preocupado com os efeitos das falsas notícias, Emmanuel Macron, presidente francês, comunicou que o congresso da França analisará um projeto que autoriza juízes a bloquear sites que praticam fake news ou derrubar seu conteúdo.

Os melhores vídeos do dia

Nos Estados Unidos, a responsabilidade de combater o conteúdo falso pela internet ficou a cargo da tecnologia. Um selo que identifica as notícias confiáveis foi criado pelo Google, revolucionando os tipos de acesso e modificando as regras, para evitar que notícias falsas lucrem com o AdSense, e o Facebook modernizou sua tecnologia para detectar e eliminar as contas falsas.

Donald Trump ironiza a mídia americana “premiando-a”

Nesta quarta-feira (17), Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, ironizou os meios de comunicação do país anunciando os 10 ganhadores de seu "Prêmio Fake News" (Notícias Falsas), através do Twitter. O anúncio ocorreu algumas horas depois de 2 senadores republicanos influentes, John McCain e Jeff Flake, criticarem o presidente, acusando-o de desestabilizar uma imprensa livre.

Na lista dos “ganhadores constam o "The Washington Post, a CNN e "The New York Times", principais redes de notícias e jornais dos EUA, além de Brian Ross, o jornalista veterano da rede ABC, e o economista Paul Krugman, que ganhou o prêmio Nobel, além de escrever artigos para o "The New York Times".

Frase de Trump em seu Twitter: "Existem ainda grandes jornalistas que respeito, e que causam orgulho aos americanos, apesar da cobertura desonesta e corrupta da mídia.”.