Na manhã da última sexta-feira, 29 de dezembro, quase ao meio-dia, a jovem universitária Nahir Galarza, de 19 anos, acordou e pulou da cama. O café da manhã estava preparado e depois de alguns minutos ela pegou o celular, escolheu uma foto dela com seu namorado, Fernando Pastorizzo,de 21 anos, e decidiu publicar a imagem no Instagram com uma declaração romântica: "Cinco anos juntos, lutando, indo e vindo, mas sempre com o mesmo amor, eu te amo para sempre, meu anjo".

Poucas horas antes, a polícia da cidade Argentina de Entre Ríos de Gualeguaychú, próximo de Buenos Aires, encontrava o corpo do próprio Fernando, 20, morto em uma estrada rural com dois buracos de bala em seu corpo.

Os eventos que aconteceram ao longo deste episódio revelam um crime macabro. A publicação da linda jovem foi feita horas depois da própria garota ter assassinado o companheiro utilizando a arma do pai, que trabalha como policial.

Nahir Galarza confessa o crime

A jovem garota, estudante de direito da Universidade de Concepción, confessou o crime e deu detalhes dos acontecimentos que se seguiram após se apresentar na polícia acompanhada do próprio pai, que horas antes era apontado com o principal suspeito do crime.

Nahir e seu pai permaneceram por horas dando seus depoimentos, até que, em algum momento, a situação fosse esclarecida após um ataque de choro da garota. "Basta, fui eu, era eu, era eu", ele repetiu, "não culpem meu pai e minha família", disse a menina.

Conforme revelado pela própria assassina, pouco depois das seis da manhã, horário aproximado do crime, Nahir voltou para casa, colocou a pistola de 9mm no coldre de seu pai e foi dormir. De acordo com depoimentos de amigos do casal, a relação entre eles era bastante conflituosa. Dias antes do assassinato, a garota já teria agredido violentamente a vítima na porta de uma casa noturna em frente aos amigos do casal.

De acordo com Víctor Rebossio, advogado da jovem, a família Galarza está devastada pelo que aconteceu. Eles não encontram uma explicação para o que foi feito pela estudante. "Eu podia sentir a tristeza desse pai, um policial, quando ele entregou à Justiça não apenas a arma, mas também a filha dele”, disse.

Nesse momento, Nahir Galarza está internada na área de Psiquiatria do Hospital do Centenário devido ao seu estado de saúde instável. Segundo testemunhas, depois de confessar o crime, ela entrou em estado de choque e foi impossível estabelecer diálogos coerentes com ela.

Não perca a nossa página no Facebook!