Uma professora foi presa pela Polícia e está sendo alvo de três acusações de estupro depois de ter confessado ter abusado sexualmente do próprio filho [VIDEO] adotivo várias vezes. A acusada de ter cometido o crime foi identificada como Stephanie Cowan, da cidade de Pryor, em Oklahoma, nos Estados Unidos. Ela admitiu ter relações sexuais com o adolescente, que passou para custódia do Departamento de Serviços Humanos (DHS), de acordo com o divulgado no dia 14 passado pela KOTV, uma afiliada da CBS em Oklahoma.

Conforme informações da imprensa local, o adolescente ficou sob os cuidados da suspeita em outubro do ano passado.

Segundo o Departamento de Polícia de Pryor, as investigações começaram depois que o menino relatou ter relações sexuais com a mãe adotiva em sua casa, em Salina.

O menino afirmou que os dois tiveram relações sexuais em novembro após uma viagem à Flórida. "Ela aconselhou a primeira vez que eles fizesse sexo no seu quarto. A segunda vez estavam no quarto dela e a terceira vez estavam no banheiro [VIDEO] da residência", disse o porta-voz da polícia, James Willyard, para o site do canal KOTV.

Em depoimento, Stephanie revelou que teve relações sexuais com o adolescente em outras três ocasiões diferentes. O jovem foi retirado da casa da mãe adotiva. A acusada admitiu aos investigadores que sabia que o relacionamento sexual com o filho adotivo era errado.

O relacionamento [VIDEO]aparentemente causou angústia emocional a Stepahnie Cowan.

"Ela estava tão chateada porque era uma criança que tinha que ir ao médico e receber medicamentos contra a ansiedade", disse Willyard.

Durante o trabalho de investigações da polícia, ficou comprovado que uma empresa privada identificada como DCCCA ajudou a suspeita adotar o adolescente. "Temos muitas salvaguardas e verificações no lugar para garantir a segurança de todas as famílias adotivas que apoiamos. Todas essas salvaguardas não são infalíveis na predição do comportamento humano", afirmou a empresa em comunicado.

Assim que o caso de agressão sexual contra a vítima veio à tona, a Pryor Junior High School anunciou que demitiu a professora. O caso continua sendo investigado.

Outro caso semelhante

Uma professora de uma escola pública do Bronx, em Nova York (EUA), foi presa acusada de ter um caso amoroso com um dos seus estudantes de 14 anos. A professora foi identificada como Dori Myers, de 29 anos, que dava aulas de estudos sociais na The New School for Leadership e de artes em Kingsbridge.

A acusada foi presa na última sexta-feira (19), acusada de ato sexual criminoso e colocar em perigo o bem-estar do adolescente.