De acordo com informações divulgadas pelos sites The Sun e Mail Online nesta segunda-feira (29), uma adolescente russa foi condenada a seis anos e meio de prisão por ter sido a responsável pela morte de seu bebê, que ficou trancado sozinho em casa durante uma semana inteira enquanto a jovem festejava todas as noites.

Viktoria Kuznetsova, de 17 anos, deixou o próprio filho de nove meses de idade, que se chamava Egor, em sua residência situada na cidade de Rostov, no sul da Rússia, para poder se divertir com os amigos.

Publicidade

A jovem, que tinha começado a frequentar uma faculdade local há pouco tempo, passou o período em que o garotinho lentamente definhava de fome e de sede nos dormitórios disponibilizados pela universidade que ela estava cursando, só retornando até a sua casa uma única vez para dar água ao cachorro – e mesmo indo até a habitação, a adolescente ignorou totalmente as necessidades do bebê, que havia sido abandonado dentro de um carrinho infantil.

O incidente ocorreu enquanto o pai da criança (cuja idade e nome não foram revelados) estava ausente, uma vez que ele foi chamado para cumprir o serviço militar russo. Devastado com a morte do filho, o homem entrou na justiça com o pedido de divórcio.

Sem demonstração de remorso

Durante o julgamento, a corte responsável por estabelecer se Viktoria Kuznetsova era culpada ou inocente ficou sabendo que ela já estava planejando matar Egor desde que começou o curso universitário, e aproveitou a ausência do marido para colocar o seu plano em ação.

Ao condenar a adolescente, o magistrado que esteve à frente do caso explicou que a morte do bebê se deu mesmo em função de fome e desidratação, e uma autópsia realizada no pequeno corpo revelou que os órgãos do menino foram colapsando um após o outro por causa da privação de alimentos e líquidos.

Publicidade

O juiz afirmou também que quando Egor foi localizado pela polícia, o seu cadáver já estava apodrecimento, sendo constituído literalmente de "pele e ossos". O magistrado acrescentou ainda: "Quando o bebê foi encontrado dentro da casa de Viktoria ele já estava morto, embora seus olhos ainda estivessem abertos pelo terror [sofrido]".

Segundo autoridades, a adolescente não apresentou qualquer sinal de que sentia culpa pelo que fez no momento em que foi condenada, e ouviu a sua sentença sem demonstrar emoções.

Ainda de acordo com o Mail Online, o período de detenção imposto a Kuznetsova, de apenas seis anos e meio, gerou um grande protesto público nas mídias sociais russas, onde muitas pessoas estão afirmando que a justiça daquele país estabeleceu uma pena muito branda para a criminosa.