Uma professora de enfermagem passou por uma tremenda provação, mas 2018 não poderia se iniciar de uma maneira mais feliz. Jenny Reddout congelou 14 óvulos há seis anos, antes de ela começar um tratamento de quimioterapia, para salvar sua vida. O câncer ameaçou levar tudo [VIDEO], incluindo sua fertilidade. Porém, essa corajosa britânica saiu vencedora e esse 2018 tem tudo para ser o ano de sua vida, especialmente agora que ela tem o 'presente' que mais desejou.

Quando Jenny foi diagnosticada, ela temeu por sua vida, mas também por aquilo que o câncer poderia levar. Antes de fazer quimioterapia, os médicos fizeram o alerta que o tratamento violento poderia deixá-la infértil.

No entanto, ela não teria outra opção, pois era sua vida que estava em risco. Nesse momento, os médicos aconselharam que ela congelasse os óvulos, para que no futuro, ela pudesse ainda assim ser mãe.

Jenny se casou e tentou engravidar, uma missão que se revelou impossível. A quimioterapia conseguiu realmente derrotar o câncer e salvar sua vida, mas tal como os médicos previram, ela ficou mesmo infértil. Como eles desejavam muito ter um bebê, Jenny e o marido Steve decidiram ter todos os ovos descongelados e fertilizados, em dezembro de 2016. No entanto, o processo é sempre muito delicado.

Apenas cinco dos 14 óvulos chegaram ao estágio embrionário. Desses, quatro morreram antes de estarem prontos para o transplante, deixando apenas um. Sobrou uma chance (em 14) de eles darem sorte e terem essa felicidade de receberem um bebê.

Os melhores vídeos do dia

Porém, o 'milagre' aconteceu mesmo e se chama Bonnie, uma Bebêzinha que nasceu em agosto de 2017, após uma cesárea de emergência.

Gillian Lockwood, diretor médico da Midland Fertility, a clínica que permitiu que Jenny fosse mãe, foi o responsável por todo o processo. Foi ele quem ajudou a congelar os óvulos de Jenny. Agora, nem ele conseguiu esconder sua emoção: "Foi meu privilégio transferir essa quantidade infinitamente pequena de protoplasma - tão pequena que é invisível a olho nu, do mesmo tamanho que o ponto de um pino. E funcionou".

O médico sempre soube que eles poderiam ter um grande número de óvulos e nem assim ter sucesso, o que é uma situação que desanima muito os casais. A gravidez não correu de maneira perfeita e por causa da condição médica de Jenny, eles tiveram que fazer uma cesárea antes do tempo, mas felizmente tudo correu bem. Bonnie tem agora quatro meses e pais muito felizes. [VIDEO]

"Eu percebi que durante os anos de tratamento de fertilidade eu tive 296 injeções, tomei 641 comprimidos e 253 pílulas hormonais. Mas tudo valeu a pena", contou Jenny, muito agradecida por sua bebê. Também Steve compartilha a mesma alegria: "Eu estou sobre a lua, e muitas vezes em lágrimas. Nunca pensei que estaria segurando nosso próprio bebê nesse ano novo".

Veja as fotos de Bonnie: