Moradores da aldeia de Mthayisi, a poucos quilômetros do município de Mbizana, na província do Cabo Oriental (África do Sul), estão assombrados com o nascimento de um bebê. Porém, o perturbador [VIDEO] dessa história é que a mãe já estava morta quando ele foi gerado. O pequeno nasceu dentro de um caixão.

Reportado pela imprensa africana e internacional, na terça-feira (16), o acontecimento tem causado calafrios nos supersticiosos habitantes da comunidade. Eles suspeitam que a mulher, Nomveliso Nomasonto Mdoyi, 33 anos, pode ter sido alvo de feitiçaria. Confira as principais manchetes.

Porém, médicos procurados pela imprensa explicam que esse tipo de episódio, apesar de bizarro [VIDEO], pode acontecer.

“O jornal Daily Dispatch falou com uma série de especialistas médicos que disseram que um feto poderia ser expulso do corpo de uma mãe como resultado da contração e relaxamento dos músculos durante a morte e, posteriormente, as bactérias começaram a causar alterações no corpo”, explana a jornalista Lulamile Feni.

O incidente foi descoberto somente dia 16, dez dias depois da morte da sul-africana. Conforme a tradição daquela tribo, o funeral ocorre somente após esse período. Durante esse tempo, o corpo permanece em um caixão na funerária.

Lindokuhle, proprietário da casa mortuária, foi primeiro a notar o bebê. Ele revelou que os funcionários também ficaram perplexos ao observar o recém-nascido junto à mãe. A criança também morreu – provavelmente por asfixia.

"Estávamos tão chocados e assustados que nem sequer tivemos tempo de olhar para o sexo do bebê.Eu tenho estado no negócio há mais de 20 anos e nunca ouvi falar de uma mulher morta dando à luz".

Morte enigmática

Mandzala Mdoyi, 76 anos, mãe da falecida, ainda transtornada com o episódio, comenta a tragédia. Diz que a filha sucumbiu de repente. Sem causa aparente. De acordo com a matriarca, ela não aparentava problemas de saúde. A idosa acentua que Nomveliso, grávida de nove meses, simplesmente perdeu o fôlego e morreu.

"Primeiro, fiquei devastada pela morte prematura da minha filha e agora recebi o choque da minha vida ao saber que ela deu à luz enquanto estava morta por dez dias. O que é isso?”, disse ao Times Live.

Embora essas particularidades aconteçam, Mbikelwa Mpithi, membro da família, informa que irá procurar médicos e paranormais do vilarejo com objetivo de encontrar uma resposta para toda a tragédia.

Mãe e filho foram enterrados juntos, num caixão feito especialmente para eles.