Uma Mulher está sendo aclamada após ter ferido gravemente seu agressor. Grávida e com um filho de 5 anos junto com ela, a mulher foi atacada por um homem, que a atacou violentamente. Sua reação foi para impedir esse grave crime e mordeu o órgão reprodutor agressor, deixando o homem gravemente ferido. A coragem dessa mulher grávida está sendo muito elogiada por várias pessoas, especialmente porque o homem até tinha uma faca apontada para ela [VIDEO]. O incidente aconteceu na segunda-feira (8), na África do Sul, país onde continuam ocorrendo imensos casos de estupro.

Tudo aconteceu quando essa grávida aceitou uma carona de dois homens, que seguiam em um carro.

A mulher estava com o filho de 5 anos na província de Mpumalanga, quando aceitou essa carona. Pouco depois, ela teria percebido que as intenções dos homens eram as piores. Eles dirigiram o carro para junto de uns arbustos, onde um dos homens estuprou a mulher, grávida, na frente do filho. O homem abusou da mulher, enquanto lhe ameaçava com a faca. Mas a oportunidade de reação surgiu.

De acordo com um comunicado da Polícia, a mulher conseguiu [VIDEO] morder ferozmente "a parte privada" do estuprador, que fugiu dali muito machucado. Os oficiais revelaram ainda que o membro do homem não ficou completamente cortado. Eles estão tentando encontrar o agressor através dessa lesão. Supostamente, eles contataram várias clínicas, tentando saber se algum homem procurou ajuda médica, com um grave ferimento nesse órgão, o que ainda não teria acontecido.

"Durante o estupro, a mulher conseguiu morder a parte privada do homem que fugiu", dizia o comunicado da polícia.

No entanto, muitas pessoas no país estão reclamando que a polícia não faz todo o possível para encontrar esses criminosos. Mais de 100 estupros são relatados na polícia, todos os dias, na África do Sul, embora o número de estupros seja considerado muito maior. Simplesmente, nem todas as pessoas fazem queixa na polícia, sendo um dos países com mais casos de estupro.

A polícia é muitas vezes acusada de investigar inadequadamente alegadas violações e de não tratar devidamente as vítimas. Por isso, muitas mulheres não apresentariam queixa, por não acreditarem que vale a pena. Muitos supostos agressores não são processados ​​e a taxa de condenação em julgamentos de estupro é inferior a 10%, de acordo com estudos independentes.

Nesse caso, a mulher, que estava grávida de três meses, conseguiu se colocar em segurança e denunciar o que aconteceu. Resta agora aguardar pelo que vai acontecer e se a polícia vai conseguir ajudá-la. No país, muitos estão elogiando sua coragem, apesar de o homem estar armado.