O Relógio do Juízo Final ou o Relógio do apocalipse (Doomsday Clock, em inglês) é um relógio simbólico criado em 1947 por um comitê de cientistas americanos da Universidade de Chicago (Bulletin of the Atomic Scientists) que registra simbolicamente a aproximação da autoaniquilação da raça humana. Os senhores do tempo, responsáveis pelo acerto dos minutos do relógio, é representado por um grupo de cientistas e intelectuais, inclusive 16 deles são ganhadores do Prêmio Nobel.

O Doomsday Clock foi concebido durante o advento da Guerra Fria em 1947 com o objetivo de fazer analogia ao fim do mundo [VIDEO]. Iniciou-se a contagem de tempo partindo de 7 minutos para a meia noite e regularmente, dependendo dos eventos mundiais relacionados às crises globais, o relógio avança ou retrocede no tempo alguns minutos ou segundos.

Ele já foi alterado 20 vezes e em período de maior tranquilidade chegou a registrar 17 minutos para a zero hora, fato que ocorreu em 1991.

O relógio esteve mais próximo da hora do apocalipse em 1953, registrando 2 minutos para a meia noite, quando a Rússia fazia testes com armamentos termonucleares. O relógio marcou 3 minutos para a meia noite em 1949, ano que a União Soviética fez o teste de sua primeira arma nuclear, e novamente em 1984, com o lançamento do programa "Guerra nas Estrelas" na gestão do presidente norte-americano Ronald Reagan.

Outro avanço nos ponteiros deu-se mais recentemente no dia 26 de janeiro de 2017, quando foi posto a 2 minutos e 30 para a meia noite. Nesta quinta-feira, 25 de janeiro de 2018, soou o alarme novamente, os cientistas resolveram avançar o relógio em 30 segundos por conta dos últimos acontecimentos globais, o que leva novamente a exatos 2 minutos para a hora do juízo final.

Os cientistas se embasaram nos assuntos que têm tirado o sono dos pacifistas ultimamente: os testes nucleares da Coreia do Norte, o interesse do Paquistão, China e Índia nas tecnologias e políticas nucleares e as truculentas e nada diplomáticas declarações do presidente norte-americano Donald Trump.

Se o fim da humanidade vai ocorrer ou não por conta de um cataclismo nuclear [VIDEO], isso não se sabe. O mundo já esteve outras vezes assolado por esse fantasma e espera-se que não seja dessa vez. Porém, passando essa crise ou não, outros flagelos atemorizam a humanidade: a fome, desemprego, intolerância religiosa e étnica, aquecimento global. Ou seja, o apocalipse sempre se anunciado com várias faces e nomes.