Circula nas redes sociais, blogs e aplicativos de mensagens como o Whatsapp, a história de um suposto pastor mexicano de 60 anos com uma menina de 12. Jorge Villareal teria anunciado, em julho de 2017, a oficialização do "compromisso" com a pré-adolescente, após "longa conversa com Deus, a qual durou a noite inteira", diz trecho da notícia.

Ainda segundo o texto, Villareal seria morador da cidade de Chalco, no México, já havia tido outros três casamentos com mulheres adultas e conseguira a aprovação da família da criança para a nova união. Sem citar nenhuma fonte externa, o informe afirma que "vários sites da região" divulgaram a notícia do tal matrimônio.

O "pastor" Jorge Villareal teria justificado seu ato indicando que na Bíblia também há relatos de meninas com 12 anos que se casaram. O raciocínio pressupõe que, como pastor, cristão e seguidor da escritura, ele estaria autorizado por leis divinas, a fazer o mesmo.

Evidentemente, posts de Facebook nos quais a história foi publicada, geraram milhares de comentários. Em especial de adeptos da religião evangélica. Além de mensagens de indignação, houve quem citasse a própria Bíblia para dizer que tempos sombrios e atos execráveis como esse foram previstos no livro sagrado dos cristãos. Outros propuseram a morte de Villareal, em nome de Deus, por conta do seu ato de pedofilia, e ainda apareceram aqueles que externaram revolta por morar "num Brasil, esculhambado pela esquerda e o PT".

A VERDADE

Acontece que a notícia, muito mal elaborada por sinal, é falsa. A maioria das fotos reproduzidos pertence a um vídeo de campanha produzido pela KAFA - Violence & Exploitation campaign, do Líbano, que combate justamente o casamento infantil naquele país. KAFA, inclusive, significa algo como "basta", em árabe. O "casal" é formado por dois atores contratados.

O vídeo, com o título de "Say #IDONT to Child Marriage" foi publicado em dezembro de 2015, no YouTube, e ultrapassou três milhões de visualizações. Nas cenas, os "noivos" são fotografados numa avenida e são abordados por passantes. A maioria condena o homem, mas há quem felicite os dois.

A KAFA é uma organização libanesa feminista, não-governamental e secular que combate casos de abusos sociais contra mulheres.

A The United Nations Population Fund (UNFPA), ligada à ONU, estima que cerca de 1.2 bilhão de meninas serão forçadas a casar até o ano de 2050.

Em 2015, a Lebanese National Commission for Women’s Affairs introduziu uma lei no parlamento que casamentos envolvendo crianças passassem, obrigatoriamente, pela aprovação de um corpo de jurados civil e laico - sem interferência de crenças religiosas.

Na época do lançamento da campanha, a coordenadora de comunicação da KAFA, Mayara Ammar, afirmou que "As cenas (do vídeo) são chocantes porque a prática em si é chocante".

Assista ao vídeo da campanha da KAFA.

Não perca a nossa página no Facebook!