Daniel Davey, de 22 anos, foi considerado culpado por ter cometido abusos contra uma criança, de cinco anos. Os abusos teriam acontecido por seis vezes, ao longo de um período de 18 meses, entre 2015 e 2016. O menino tinha 5 anos, quando foi abusado pela primeira vez e revelou o caso, após esse sexto abuso, em uma altura que tinha, então seis anos. O menino revelou a sua mãe que ele tinha uma coisa "suja" para falar para ela e ganhou coragem, para compartilhar um crime que ele não tinha ainda idade para entender a gravidade, mas sim o quanto o estava machucando. Entretanto, o homem foi condenado e preso, mas é agora notícia, poucas semanas depois de ter entrado nessa cadeia [VIDEO], na Inglaterra.

Condenado à cadeia

Davey havia sido condenado a uma pena de prisão de seis anos e meio, no dia 1 de dezembro, mas pouco mais de um mês depois, no dia 12 de janeiro, ele foi encontrado sem vida, na cadeia, de Bullingdon, em Oxfordshire. O pedófilo morreu na prisão, onde se encontrava, após ter cometido os cruéis abusos sobre o garotinho.

Entretanto, um porta-voz do Ministério da Justiça inglês já veio falar que essa morte seria investigada internamente, pelo serviço penitenciário [VIDEO]. No entanto, já foi instaurado um inquérito, em Oxford, para se averiguar também de uma forma mais extensa, mas foi adiada a data para ser resolvido esse caso. A cadeia de Bullingdon é um espaço que abriga 1109 prisioneiros adultos e jovens adultos.

No entanto, não foi revelada qualquer indicação de causa de morte, mas é sabido que os detentos tendem a reagir mal com a presença de criminosos que têm crianças como suas vítimas e poderia ser esse o cenário.

Sobre os abusos

O jurado do Tribunal de Swindon ouviu Davey confirmar os abusos sobre sua vítima, durante o tempo em que ele viveu e trabalhou em Chippenham. O caso só foi revelado quando o menino finalmente conseguiu compartilhar com sua mãe, o que é perfeitamente compreensível tendo em conta a idade da criança. A mãe contatou imediatamente a Polícia, que logo encontrou o DNA de Davey sobre a roupa íntima do menino, nos exames efetuados.

O tribunal também ouviu uma testemunha tinha visto uma imagem no computador de Davey de um homem estuprando uma criança de cerca de 13 anos. Quando confrontado, Davey disse que tinha sido enviado por alguém como se fosse uma piada, mas ele havia descartado já essa imagem, antes de ser detido pela polícia.

Davey negou as acusações, mas foi considerado culpado por um júri. Afinal, os testes do DNA foram conclusivos e provavam a existência dos abusos. Além de uma pena de seis anos e meio de cadeia, ele ficou ainda registrado como um estuprador e ficaria ainda com uma ordem de prevenção para toda a vida. No tribunal, foi também criada uma ordem de restrição para proteger a criança.