A Rússia irá expulsar todos os trabalhadores provenientes da Coreia do Norte que estão atualmente empregados em seu território, segundo afirmou o embaixador russo nesta terça-feira (30).

Em declarações à agência de notícias russa Interfax, Alexander Matsegora, embaixador da Rússia na República Popular Democrática da Coreia, afirmou que “nós teremos de obedecer a decisão do Conselho de Segurança e enviar de volta todos os trabalhadores [que estão] na Rússia até o final de 2019”.

Em 22 de dezembro do ano passado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas impôs novas sanções à Coreia do Norte [VIDEO] por causa de seu programa nuclear e balístico.

O objetivo dessa nova medida é que todos os países repatriem os trabalhadores norte-coreanos que estão empregados em seus respectivos territórios.

Isso porque, segundo as denúncias do Ocidente, os trabalhadores norte-coreanos que atuam fora de seu país são uma fonte de receitas para o governo de Kim Jong Un. A maior parte de seus salários seria enviada para o governo, uma vez que no país asiático a mão de obra é predominantemente empregada pelo Estado e eles seriam terceirizados para diversos países mundo afora.

Entretanto, conforme revelou o embaixador da Rússia, a maior parte dos salários dos trabalhadores norte-coreanos no exterior é direcionada para suas famílias, não para o Estado. Ao menos esse é o caso dos 30 mil norte-coreanos que trabalham na Rússia, principalmente na construção civil e na extração de madeira.

Segundo Matsegora, cada um desses trabalhadores tem em média dez familiares e sua volta para casa irá gerar problemas de desemprego.

“Esse é um golpe muito duro para essas famílias e, para ser honesto, se quem teve essa ideia [de deportar os norte-coreanos] queria criar problemas para as pessoas comuns na RPDC, estão de parabéns, porque eles criaram esses problemas”, criticou o embaixador russo.

Primeiras medidas

No final do ano passado, logo após a decisão do Conselho de Segurança da ONU de impor tais sanções à Pyongyang, o governo russo já havia sinalizado sua disposição em atender à medida.

Em 29 de dezembro, o Ministério do Trabalho da Rússia rejeitou o pedido [VIDEO] da Administração da província de Krai, no extremo leste do país, que faz fronteira com a Coreia, para a contratação de mais 9 mil trabalhadores norte-coreanos. O governo também recusou a solicitação de uma outra região do país para contratar 156 cidadãos da Coreia do Norte, segundo a agência de notícias RIA Novosti.