O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta sexta-feira (12) que adiará as sanções contra o Irã pela última vez e que um novo acordo nuclear com o país persa deve ser realizado em até 120 dias.

"Apesar de minha forte inclinação, eu ainda não retirei os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã. Ao invés disso, eu coloquei dois caminhos possíveis: ou se corrigem as desastrosas falhas [do acordo] ou os Estados Unidos se retirará dele", disse o presidente em um comunicado. "Esta é a última chance. Na ausência de tal acordo, os Estados Unidos não adiará as sanções de novo para permanecer no acordo nuclear iraniano", completou.

Trump, que fez do acordo nuclear iraniano firmado pelo seu antecessor uma de suas bandeiras durante as eleições presidenciais, declarou que usará os próximos quatro meses para conseguir o apoio dos países europeus para alterar o acordo. Dentre os países signatários do acordo, estão o Reino Unido, França, Alemanha, Rússia, China e a União Europeia.

Ainda assim, o presidente norte-americano elevou o tom: "aqueles que, por qualquer razão que seja, escolherem não trabalhar conosco, estarão se colocando ao lado das ambições nucleares do regime iraniano, contra o povo do Irã e as nações pacíficas do mundo."

Antes da declaração de Donald Trump, a Organização de Energia Atômica do Irã (OEAI) havia ameaçado tomar as "medidas necessárias" se o presidente norte-americano retomasse as sanções contra o país, dizendo ainda que o país tem capacidade de acelerar o processo de enriquecimento de urânio.

"O governo americano deve pensar bem... apesar de não terem demonstrado até o momento que podem pensar ou agir desta maneira", disse o porta-voz da OEAI, Behrouz Kamalvandi.

Na quinta-feira, a União Europeia e países-membro pediram que Trump não saísse do acordo [VIDEO]. A chefe de política externa da União Europeia, Federica Mogherini, declarou que o acordo "está funcionando" e "fazendo o mundo mais seguro."

"[O acordo] está funcionando e seu principal objetivo, que é manter o programa nuclear iraniano em conformidade e sob forte observação", disse.

O acordo nuclear iraniano estabelece que algumas sanções por parte dos Estados Unidos e países da UE seriam paralisadas em troca da restrições no enriquecimento de urânio, construção de reatores e outros aspectos do programa nuclear do país. O acordo deveria ter duração de 15 a 25 anos.

Leia também: Estados Unidos em duas frentes diplomáticas contra a Coreia do Norte e o Irã