4

Segundo informações divulgadas pelo site Mail Online, um adolescente [VIDEO] chinês de 12 anos de idade perdeu o dedo indicador direito e a visão deste mesmo lado do corpo depois que seu telefone celular explodiu enquanto era carregado na última quarta-feira (31).

O trágico incidente [VIDEO] ocorreu justamente no momento em que Meng Jisu, que vive no condado de Du'an Yao, situado em Hechi, na província de Guangxi, estava estendendo a mão para pegar o aparelho, que se encontrava conectado à energia elétrica de sua casa.

A detonação foi tão violenta que o garoto desmaiou com a onda de choque deflagrada, e seu dedo simplesmente foi arrancado.

Além disso, os fragmentos de plástico ejetados em alta velocidade a partir da carcaça do celular atingiram várias partes do rosto do jovem, o que infelizmente acabou cegando-o de um olho.

Necessidade de cirurgia

Em entrevista concedida a uma plataforma de vídeo chinesa conhecida como Pear Video, a irmã mais velha da vítima afirmou que ouviu um enorme estrondo na hora em que o acidente ocorreu, e que ao procurar a fonte do barulho ficou chocada, pois encontrou Meng Jisu coberto de sangue.

O adolescente foi levado até o Hospital Popular de Du'an Yao, onde foram feitas imagens de raio-X que revelaram a impressionante extensão dos danos causados à mão direita do garoto – não só o dedo indicador foi afetado, mas também as extremidades digitais adjacentes.

Os melhores vídeos do dia

Jisu precisou passar por uma longa operação que durou cinco horas, na qual os cirurgiões removeram todo o plástico que havia ferido o seu corpo. Adicionalmente, foi realizando também um enxerto de pele no antebraço destro, além de religação dos vasos sanguíneos do membro superior danificado.

Fazendo uma projeção, os doutores estimaram que, no futuro, o garoto pode recuperar até 98% das funções de sua mão atingida. Entretanto, o médico-chefe do estabelecimento onde o procedimento cirúrgico foi realizado, Lan Tianbing, disse à mídia chinesa que o dedo da vítima arrancado na explosão ficou "em retalhos", e deste modo não seria mais possível reimplantá-lo.

Ainda segundo o Mail Online, a mãe do menino revelou que o celular que explodiu tinha apenas dois anos de utilização, e que o mesmo foi dado a Jisu após ela – que era a dona anterior – ter adquirido um smartphone novo.

A empresa Hua Tang, que é a fabricante do aparelho defeituoso, não se pronunciou ou emitiu qualquer nota a respeito do incidente.